Clique e assine por apenas 6,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade.

Conheça a personal organizer que passou pelo “vestibular” de Marie Kondo

Nalini Grinkraut narra a jornada para ganhar certificação da papisa da organização e do desapego

Por Ana Carolina Soares - Atualizado em 18 Jan 2019, 18h15 - Publicado em 18 Jan 2019, 18h09

A publicitária Nalini Grinkraut, de 32 anos, transformou uma característica pessoal sua em profissão. Até o momento, ela é a única “personal organizer” aqui na capital certificada por Marie Kondo, especialista em organização pessoal que virou best-seller e série do Netflix.

Tudo começou há cerca de quatro anos, quando engravidou de Marina. Ela decidiu não voltar de sua licença-maternidade e procurou atividades para fazer em casa, perto de sua bebê. Na sequência, engravidou de Benny (hoje com 2 anos) e sua rotina desandou. “Sempre fui uma pessoa organizada, mas depois que tive filho, por mais que arrumasse a casa, ela voltava a ficar uma bagunça”, diz Nalini.

Primeiro, procurou cursos aqui em São Paulo. Então, percebeu que sua vocação poderia se transformar em uma profissão e logo procurou a “top” no negócio, Marie Kondo. Para a mestra da organização, mais do que “dar um jeito nas gavetas”, a função é a “filosofia do desapego”. “A vida da pessoa que se reorganiza dessa forma muda completamente, tudo deslancha, vai para frente. É impressionante”, acredita.

Em março do ano passado, Nalini passou por um curso de três dias em Nova York. Além de pagar 2 000 dólares (algo em torno de 6 800 reais), precisou passar por uma espécie de “vestibular” para saber se teria condições de sentar-se frente a frente com Marie. “O candidato precisa mandar fotografias aos avaliadores, mostrando o antes e o depois de uma arrumação em casa”, conta.

Continua após a publicidade

Curso feito, o candidato deve passar por pelo menos dois clientes em pelo menos dez sessões, sempre mandando fotos e relatórios à comissão. Ao final, há uma prova online. “Fui reprovada na primeira, mas gabaritei a segunda”, diz Nalini, que fez o processo em dezembro. Em janeiro, passou por entrevistas com a equipe de Marie e, finalmente, conseguiu seu certificado (mas precisa pagar uma taxa anual de 500 dólares para manter o “carimbo” Kondo).

Agora, Nalini está com a agenda cheia. Cobra em média quase 700 reais a sessão de cinco horas. Em média, para organizar o lar de uma família de quatro pessoas, é necessário de sete a dez sessões. Além do certificado, ela também pode “tirar onda” ao lado da popstar da arrumação. “Marie é pequena, muito humilde, simples, mas transmite uma energia impressionante”, define.

Publicidade