Clique e assine por apenas 5,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Filhos de Henry Maksoud tentam bloquear venda de mansão

O local teria sido posto à venda por Henry Maksoud Neto e Georgina, neto e viúva do empresário

Por João Batista Jr. - Atualizado em 8 jan 2018, 15h36 - Publicado em 5 jan 2018, 06h00

Mais um episódio da rumorosa briga do clã Maksoud. Claudio e Roberto, filhos de Henry Maksoud (fundador do hotel que leva seu sobrenome, morto em 2014), entraram com uma ação para bloquear a venda da mansão onde o pai morava, na Chácara Flora, na Zona Sul. O imóvel está sendo oferecido por 25 milhões de reais. O local teria sido posto à venda por Henry Maksoud Neto (filho e inimigo de Roberto) e Georgina (viúva de Henry). Claudio e Roberto querem que a residência seja incluída no testamento de Henry.

Esse documento, aliás, já é objeto de questionamento por parte dos irmãos, pois apenas Neto e Georgina constam como herdeiros de uma fortuna estimada em 500 milhões de reais. O imóvel da Chácara Flora pertence a uma empresa chamada Alelis, controlada por uma offshore panamenha que tem Georgina como administradora. “A casa não está no inventário, pertence à minha cliente”, diz o advogado da viúva, Márcio Casado. Em julho, a Justiça arquivou a investigação que a punha sob suspeita de maltratar e até de ter assassinado o marido, conforme acusações de Claudio e Roberto. Henry Maksoud tinha câncer no pulmão e morreu após sofrer uma parada cardíaca.

Em tempo: Em nota, Henry Maksoud Neto afirma não ser o proprietário do referido imóvel e não tem nenhuma relação com a decisão de vendê-lo.

Publicidade