Clique e assine por apenas 5,90/mês
Terraço Paulistano Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.

Banqueteira paulistana vende marmitas chiques semiprontas na quarentena

“Fregueses que nunca tinham usado a cozinha antes ligam pedindo ajuda e dou instruções por telefone”, conta Ana França Pinto

Por Humberto Abdo - Atualizado em 17 ago 2020, 10h48 - Publicado em 14 ago 2020, 06h00

Ana França Pinto, 40, e sua mãe, a banqueteira Mazzô França Pinto, tiveram de adaptar o serviço de bufê da família, presente há 35 anos nas festas paulistanas. “Por sugestão de um cliente, passamos a entregar durante a pandemia pratos que precisam sempre de alguma finalização”, explica Ana. Sem cardápio fixo, mãe e filha indicam receitas clássicas, como arroz de pato, bobó de camarão e filé wellington, em porções individuais com valores de 30 a 90 reais. “Fregueses que nunca tinham usado a cozinha antes ligam pedindo ajuda e dou instruções por telefone”, conta. “O serviço é personalizado e a divulgação, no boca a boca.

Banqueteiras paulistanas vendem pratos individuais de 30 a 90 reais na pandemia. Arquivo Pessoal/Reprodução
Vaca atolada, das banqueteiras Mazzô e Ana. Arquivo Pessoal/Reprodução
Bolo de coco preparado e vendido pelas banqueteiras. Arquivo Pessoal/Reprodução

 

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 19 de agosto de 2020, edição nº 2700.

Publicidade