Clique e assine por apenas 5,90/mês
O Sexo e A Cidade Por Blog Histórias, novidades e estratégias dos empresários do mercado erótico em São Paulo

Renato e Cristiane Cardoso, genro e filha de Edir Macedo, lançam livro sobre namoro

Juntos há 25 anos, Renato e Cristiane Cardoso sempre fizeram sucesso nos púlpitos da Igreja Universal, dando conselhos amorosos. Respectivamente genro e filha do bispo Edir Macedo, dono do templo e da Rede Record. Em 2012, lançaram o livro Casamento Blindado. Foi um sucesso editorial, já vendeu mais de 3 milhões de exemplares e se […]

Por Ana Carolina Soares - Atualizado em 26 fev 2017, 11h20 - Publicado em 29 jun 2016, 16h52
O casal Christiane e Renato Cardoso. "A maioria dos divórcios começa no namoro", ela ensina

O casal Cristiane e Renato Cardoso. “A maioria dos divórcios começa no namoro”, ela ensina

Juntos há 25 anos, Renato e Cristiane Cardoso sempre fizeram sucesso nos púlpitos da Igreja Universal, dando conselhos amorosos. Respectivamente genro e filha do bispo Edir Macedo, dono do templo e da Rede Record. Em 2012, lançaram o livro Casamento Blindado. Foi um sucesso editorial, já vendeu mais de 3 milhões de exemplares e se manteve dois anos nas listas dos mais vendidos.

+ Mãe de participante do MasterChef Júnior assediada desabafa sobre o episódio

No fim de maio, o casal colocou no mercado o Namoro Blindado (Editora Thomas Nelson Brasil; 34,90 reais). “Independentemente da vida de solteiro – se a pessoa está só, paquerando, ficando, catando os pedaços do coração – é possível se situar para não se perder no mundo cada vez mais complicado dos relacionamentos modernos”, diz Renato, bispo da Universal. A esposa dele completa: “A maioria dos divórcios começa no namoro”.

Lançado em maio, o livro já vendeu 130 000 exemplares e está há seis semanas no ranking dos mais vendidos de VEJA

Lançado em maio, o livro já vendeu 130 000 exemplares e está há seis semanas no ranking dos mais vendidos de VEJA

Com uma linguagem simples, bem humorada e com citações religiosas, o livro já vendeu 130 000 exemplares (um número absurdo diante das tiragens normais, em torno de 3 000 unidades) e está há seis semanas no ranking dos mais vendidos de VEJA.

A seguir, o casal lista 27 mitos do namoro:

1. “Homem é tudo igual”
Também vale para “mulher é tudo igual”. Promovido por pessoas que se decepcionaram com o sexo oposto e decidiram que podem definir todo o gênero masculino ou feminino baseadas em apenas dois ou três de seus representantes. Cuidado com estereótipos. A verdade é que ninguém é igual a ninguém. Quando uma mulher pensa que todo homem é igual, ela começa a tratar todos da mesma forma, com desconfiança. Trate cada pessoa da maneira que ela merece.

2. “Deus vai me trazer a pessoa certa, na hora certa”
A primeira e última vez que Deus trouxe um parceiro para alguém foi no Jardim do Éden — mas isso porque até então não havia ninguém para Adão procurar! A ideia de que Deus tem algum tipo de agência de relacionamentos e está despachando a “pessoa certa” para cada solteiro não tem nenhum fundamento bíblico. Deus nunca prometeu isso. Ao contrário, Ele nos ensinou a procurar: “Aquele que encontra uma esposa, acha o bem, e alcança a benção do Senhor”. Só quem procura encontra. Portanto, não será trazido até você. Você tem que ser proativo. O que percebemos por trás desse mito é que seus seguidores, na verdade, não querem o trabalho de procurar alguém ou correr os riscos inerentes do processo de achar uma pessoa. Por isso, preferem se apoiar em uma falsa espiritualidade e cruzar os braços. Deveriam também encontrar uma poltrona bem confortável para sentar enquanto esperam.

3. “Ainda não encontrei a minha alma gêmea”
O mito da alma gêmea veio da mitologia grega, que diz que o ser humano foi criado com quatro braços, quatro pernas e uma cabeça com duas faces. Mas Zeus, o maioral deus grego, dividiu os seres humanos ao meio como punição por quererem tomar o lugar dos deuses. E então, os pobres coitados foram condenados a passar o resto de suas vidas procurando sua “outra metade” — e não seriam completos até que a achassem. Ridículo? Pois é, mas esse mito está profundamente enraizado em nossa cultura, sempre presente nos filmes, novelas, músicas e romances. Muita gente o leva a sério, começa e termina relacionamentos baseado nele.

4. “O importante é ser feliz”
Esse é o lema dos que não entendem nada de felicidade ou só de felicidade temporária. Sinônimo de “não estou nem aí para os outros nem para o futuro, só quero saber de mim e do agora, mesmo suspeitando que amanhã provavelmente me arrependerei da besteira que estou fazendo hoje”. É mito, porque há muitas coisas mais importantes na vida do que ser feliz sempre (como se isso fosse possível) ou mesmo em um dado momento. Se o importante é ser feliz, por que vamos trabalhar ou estudar em vez de passear? Por que não damos um merecido tapa na cara de alguém em vez de deixar para lá? Por que não comemos bolo de chocolate pela manhã, tarde e noite? É óbvio que se formos fazer sempre o que nos faz feliz, as consequências serão desastrosas — especialmente no relacionamento. Muitas pessoas acabam traindo seus cônjuges, largando seus filhos e gerando ódio porque dizem querer “ser feliz” — como se a felicidade pessoal lhes desse o direito de destruir a felicidade dos outros. Ninguém consegue ser feliz fazendo o próximo infeliz. A verdade é que para sermos felizes temos de fazer coisas por vezes difíceis, repetitivas, entediantes para então desfrutarmos dos bons resultados delas. O que produz felicidade não é fazer o que você sente, mas sim fazer o que é certo.

O casal apresenta "The Love School", na Record

O casal apresenta “The Love School”, na Record

5. “Quero me casar para ser feliz”
Para um casamento ir bem, marido e mulher têm de ser pessoas completas como indivíduos antes de se casarem. O contrário também é verdade: se uma pessoa (ou ambas) for incompleta, o casamento costuma ter sérios problemas. Se você já não é feliz antes de casar, provavelmente não será depois. Portanto, se é assim, e ainda solteiro, não se meta em casamento. Devemos ser pessoas equilibradas e felizes o suficiente para podermos compartilhar coisas boas com nosso parceiro. Se você se casar para resolver seus problemas, possivelmente estará colocando um fardo demasiadamente pesado para seu parceiro carregar. E fará da vida dele (e da sua) uma tortura. Infelizmente, é isso que muita gente faz. Por isso temos tantos casais por aí em que um parceiro tem de carregar o outro, engolir sapos, sofrer humilhações, dar uma de psicólogo para resolver os traumas… Casamento não é fábrica de felicidade nem oficina de consertar pessoas infelizes.

6. “É bom morar junto antes de casar para ver se o casamento vai dar certo”
Esse mito já foi desbancado por vários estudos feitos por universidades e institutos de pesquisa renomados ao redor do mundo. A justificativa é que morar junto ajudaria os namorados a descobrir se eles se dão bem e, assim, detectar qualquer problema de convivência antes, e não depois, do casamento. Mas a realidade mostra que casais que vivem juntos antes de casar são mais propensos a ver seus casamentos terminarem em divórcio. Na prática, esse arranjo conjugal gera inúmeros problemas relacionados ao desencontro de expectativas do casal. Enquanto a mulher passa a olhar para o companheiro como se fosse seu marido, e esperar dele que se comporte como tal, o homem continua olhando para ela apenas como uma namorada — mas com benefícios: ela limpa, lava, passa, cozinha, divide as contas e está disponível para sexo quando ele quiser. A verdade é que relacionamentos que respeitam os estágios do conhecimento e intimidade — amizade, namoro, noivado e casamento — costumam ser mais duradouros e felizes. Uma das razões é porque eles são conduzidos de forma planejada e racional, em vez de impulsiva e sem compromisso.

7. “Precisamos fazer um test-drive”
“Como vamos saber se vamos nos dar bem na cama?” Esta é a justificativa para o rapaz pedir um test-drive à sua namorada. Só pelo fato de ele colocar o sexo como condição para continuar o relacionamento com a jovem já mostra que ele não está comprometido com ela, apenas quer o seu corpo. A jovem que se valoriza, se garante na cama e fora dela. Logo, não precisa que ninguém lhe faça um test-drive.

8. “Quem manda em casa é o homem”
Essa ideia machista, muito antiga, faz muitos maridos maltratarem e anularem suas esposas por medo de serem mandados por elas. O resultado tem sido bem visível: em um extremo, mulheres anuladas; e no outro, mulheres que se tornaram ariscas e até agressivas para nunca dependerem de homem algum. Em um casamento ninguém deve “mandar”. O que deve haver é uma parceria onde o que é melhor em um assunto lidera, enquanto o outro o apoia — e os dois priorizam o que é melhor para os dois.

+ A nudez selvagem da atriz Bianca Müller

9. “Que seja eterno enquanto dure”
A mensagem é que um dia o amor vai acabar, que não existe mais casamento para a vida toda. Se você pensa que algo não funciona mais, você vai desistir de tentar fazê-lo funcionar. Esse é o maior problema com esse mito. As pessoas tratam o casamento como algo temporário, com data de validade. Quando acabar o encanto, é só divorciar. O que determina a duração de um casamento é o que o casal faz, não o tempo.

10. “Estar casado por muito tempo é um tédio”
Outro mito que leva as pessoas a parar de trabalhar no casamento. . A verdade é que tédio não está ligado ao tempo de casado, mas sim aos comportamentos do casal. Um namoro de duas semanas pode virar um tédio se o casal mantiver comportamentos entediantes quando estão juntos. Todo relacionamento, cedo ou tarde, pode cair na rotina e cabe ao casal trabalhar para que essa rotina não se torne um tédio.

"Casamento é como uma dança", define Cristiane

“Casamento é como uma dança”, define Cristiane

Continua após a publicidade

11. “Todo homem vê pornografia”
Mentira. Apesar da internet ter facilitado o acesso à pornografia, nem todo homem vê — e muitos dos que já viram estão despertando para o fato de quão prejudicial ela é para o seu desempenho sexual. E não se esqueça da regra de ouro: a quantidade de pessoas que praticam alguma coisa não torna aquela coisa certa ou boa para todos. Se a maioria dos funcionários na empresa em que você trabalha rouba, isso não torna certo roubar.

12. “Casamento é só um pedaço de papel”
Se é só um pedaço de papel, então por que a pessoa não quer assinar? A verdade é que, no fundo, a pessoa sabe que é muito mais do que um pedaço de papel. É um ato de alguém que não tem medo de assumir um compromisso com outra pessoa. Não tem medo porque tem toda a intenção de cumprir sua palavra. Se você não está preparado para assumir um compromisso com a pessoa que ama diante dela, de seus parentes e amigos, e diante da lei, como estará preparado para enfrentar as horas difíceis que todo o casal passa e continuar juntos? O engraçado é que ninguém reclama de assinar contrato com a empresa de celular, com o patrão, com o provedor de seguro de saúde etc. É claro que uma certidão de casamento não garante a durabilidade de uma união. Mas tampouco a diminui, ao contrário, contribui para seu fortalecimento.

13. “Eu não mando no meu coração”
Todo ser humano consegue mandar no coração porque todo ser humano pode usar o raciocínio; ao contrário dos animais, que só podem usar seus instintos. Se você não manda no seu coração, talvez o seu lugar seja em um zoológico, com direito a plaquinha para alertar os visitantes: “Perigo! Não alimente os sentimentos deste animal. Ele não manda no seu coração”.

+ Pesquisa da USP mostra que metade das mulheres não chega ao orgasmo

14. “Antes só do que mal acompanhado”
A falha de raciocínio aqui está na apresentação de apenas duas opções como se fossem as únicas: ou você está só ou está mal acompanhado. Espere aí… que tal nem uma nem outra — nem só nem mal acompanhado? Que tal uma terceira opção: bem acompanhado? Por causa desse mito, muitas pessoas têm vivido na solidão por medo de ser mal acompanhadas.

15. “Não case antes de ter uma carreira e bastante dinheiro”
Por que não? Quem disse que você não pode ser feliz no amor enquanto estiver estudando ou que não é possível crescer juntos? Esse mito tem feito muitas mulheres deixarem a vida amorosa para depois, em nome de priorizar a independência financeira. Quando finalmente a alcançam, a uma certa idade, olham para os lados e a maioria dos homens de sua idade não está mais disponível. Eles já estão casados ou querendo as mais novas. A realidade é que homens e mulheres estão se casando cada vez mais tarde. Com certeza, uma das principais causas disso é a crença neste mito.

16. “Depois que a gente se casar, ele(a) vai mudar”
Não, ele não vai ser mais carinhoso ou deixar de mentir só porque casou com você. Ela não vai ser uma mulher mais amável ou menos imprevisível depois de se tornar esposa. As pessoas não mudam em virtude do casamento. Elas só mudam quando querem mudar. Se há algo sobre o caráter dele que é inaceitável, ele precisa consertar isso antes de se casar com você, pois depois terá pouco incentivo para fazê-lo. Normalmente, o que já é ruim durante o namoro, piora depois do casamento.

17. “Engravidou, agora tem que casar”
Na teoria sim, mas na prática a emenda pode ficar pior que o soneto. Com tanta gente fazendo sexo irresponsavelmente, a gravidez não planejada é uma das consequências que pode não resultar no início de uma família. A decisão de casar deve levar em consideração muito mais do que uma gravidez. Nem todo homem que tem a capacidade de engravidar uma mulher tem condições de ser pai e marido. E nem toda mulher que engravida tem condições de ser mãe e esposa. Não é por acaso que muitas crianças são criadas por seus avós. Uma tragédia social, sim, mas casamento automático por razões de gravidez pode ser ainda mais trágico para todos os envolvidos. As considerações certas precisam ser feitas e bem pesadas antes de agir.

18. “Um filho irá nos unir para sempre”
Este mito é cria do anterior. Na crença de que o namorado ou marido irá se ajuizar, casar e formar uma família com a chegada de um filho, muitas mulheres partem para a gravidez como meio de garantir a relação. Basta dizer que se esse mito fosse verdade, não haveria mães solteiras por aí. Estudos também mostram que a chegada de um filho traz maiores desafios para um casal. Se eles estiverem despreparados e a relação conturbada, um filho apenas trará mais desunião.

A filha de Edir Macedo prega no Templo de Salomão

A filha de Edir Macedo prega no Templo de Salomão

19. “Sexo é apenas um ato físico”
Assim dizem os proponentes da “amizade colorida”, um relacionamento entre dois amigos que mantêm relações sexuais sem compromisso de namoro. Os maiores aliados desse mito, como de muitos outros, são os filmes, seriados e novelas. Não são neles que você vê os personagens indo para a cama logo no primeiro encontro ou transando um com o outro como se fossem tomar um cafezinho? Esse mito serve para muitos como desculpa para fazer sexo à vontade sem as complicações de um relacionamento amoroso. Depois de uma visão tão banalizada da coisa, quando essas pessoas se casam, elas não valorizam o sexo, pois não conseguem associá-lo à intimidade. Sexo, na verdade, é uma troca física, emocional, psicológica, espiritual e de compromisso. Pensar em sexo como um ato apenas físico é como pensar em comida apenas como ração.

20. “Siga o seu coração”
Se você quer parar de errar, especialmente no amor, pare de ouvir seu coração. O coração é a voz dos seu sentimentos e emoções. É ele o grande responsável pela maioria dos casamentos fracassados e outras decepções amorosas. A maioria das pessoas que temos aconselhado, cujas vidas hoje estão destroçadas, começaram simplesmente fazendo o que “sentiam no coração”. Não seja tolo. Siga sua cabeça, que foi feita para pensar, avaliar e decidir. É ela que você usa para as outras áreas de sua vida. Por que em uma área tão importante, sua vida amorosa, você não a usaria?

21. “O amor supera tudo”
Em contos de fadas, sim. Na realidade, o amor não pode superar a determinação de uma pessoa em persistir no erro. Se vocês se amam, mas insistem em fazer o que é mau para o relacionamento, a união de vocês não vai resistir. O crescente índice de divórcios está aí para provar isso. Inteligência, bom senso, humildade, sacrifício e outras virtudes também são necessárias, além de boas habilidades para resolver problemas inerentes à vida a dois.

22. “O verdadeiro amor é incondicional”
Amor incondicional é um mito porque confunde amor com relacionamento. Pode haver amor sem condições de relacionamento? Pense. Meu amor pela Cristiane exige condições como fidelidade, respeito e honestidade entre nós. Eu não vejo como poderíamos ter um relacionamento sem estas e outras condições básicas — se ela me traísse, humilhasse ou mentisse o tempo todo para mim. “Meu amor por você é incondicional” soa muito romântico, mas é uma utopia. Não funciona assim. Você pode até amar alguém, mas um relacionamento com ele seria impossível exatamente por falta de condições.

23. “Quem é bom já está casado”
Esse é um mito que corre entre os solteiros desesperançados de encontrar um amor. A verdade é bem diferente. Segundo o IBGE/PNAD, o número de pessoas solteiras só no Brasil é de 77 milhões. Isso inclui todas as pessoas acima de 15 anos que se declaram não estar em nenhuma relação conjugal — mas não inclui divorciados, viúvos e separados (com eles, o número passa dos 85 milhões), bem acima do número de casados. Ou seja, há mais gente disponível para um relacionamento do que não. Será que toda essa gente realmente não presta para casar? O problema dos solteiros não é a falta de pessoas. O problema é a falta de fé nas pessoas. A cada dia que passa, as pessoas estão perdendo a fé nas outras. E com razão. Com tantas decepções, traições, divórcios e safadeza que temos visto por aí, nossa primeira reação é desconfiar de quem não conhecemos. E daí a raiz do problema: você não pode confiar em quem não conhece. Confiança exige conhecimento. Por isso damos tanta ênfase neste livro à importância de conhecer a outra pessoa e se deixar conhecer dentro de um namoro.

24. “Se ele(a) mudasse, nossos problemas acabariam”
Você tem que mudar também. O foco demasiado nos erros do outro faz com que você não enxergue os seus. E ainda: você fica paralisado, achando que a única maneira de salvar a relação é os dois quererem mudar juntos, ao mesmo tempo. Em nossa experiência pessoal e com milhares de casais, a mudança no relacionamento normalmente começa com um, quase nunca com os dois. Se você mudar primeiro, há muito mais chance de que o outro seja inspirado a mudar também.

25. “Quando é para dar certo, tudo flui perfeitamente”
A ideia de que um relacionamento perfeito não deve dar trabalho e nunca é difícil é muito atraente. Quem quer ter trabalho? Nós queremos é que o outro sempre saiba o que precisamos, instintivamente, sem precisarmos falar ou pedir. A verdade é que o “felizes para sempre” não é contínuo. Mesmo um casal unido por um grande amor não viverá feliz sempre — todo dia, toda hora em todo lugar. Haverá dias ruins. E os dois terão de aprender a lidar com eles, a se comunicar em vez de esperar que o outro leia sua mente. Relacionamento feliz dá trabalho, sim, e não há como escapar disso.

O casal com o bispo Edir Macedo

O casal com o bispo Edir Macedo

26. “Um grande amor será sempre romântico”
A paixão do início de um relacionamento não é permanente. Aquele encanto do novo, o jogo da conquista, se sentir especial entre os amigos, fazem parte de um amor jovem. Mas eventualmente um outro tipo de amor tem de assumir a relação. Um amor mais maduro, baseado em coisas mais sólidas e permanentes. Uma jovem esposa reclamou sobre a aparente frieza do marido: “Se ele me amasse, iria querer passar o tempo todo comigo”. Há tempo para tudo. Não espere que a relação seja sempre marcada por surpresas românticas em datas especiais, bilhetinhos de amor espalhados pela casa ou por loucuras de amor. Um grande amor não é marcado por romance toda hora.

27. “Você tem que sentir atração pela outra pessoa, tem que rolar uma química”
Basear o sucesso e a durabilidade de um relacionamento na atração física é como planejar um evento ao ar livre para uma data futura baseado na boa previsão do tempo para hoje. Assim é com a atração física. Ela muda com o tempo. Faça uma rápida pesquisa: procure fotos de celebridades na Internet quando eram jovens e estavam no auge de sua beleza, há 20 ou 30 anos, e compare com as fotos delas hoje. A beleza física vai murchando com o tempo e por isso um relacionamento não pode ser baseado nela. Uma relação precisa se basear em qualidades atemporais, que embelezam a pessoa que as possui e a mantêm atraente a despeito do seu corpo.

Continua após a publicidade
Publicidade