Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pergunte ao Doutor Por Blog

O que é mais higiênico: enxugar a louça com pano ou deixá-la secar naturalmente?

O biomédico Roberto Martins, também conhecido como Dr. Bactéria, responde: “Deixar tudo secando naturalmente. O pano de prato só é recomendado se estiver seco e devidamente higienizado – e ele deve ser trocado todos os dias. Do contrário, o melhor é optar pela toalha de papel ou deixar a louça secar naturalmente. Isso porque quando está úmido, após o […]

Por Aretha Yarak - Atualizado em 26 Feb 2017, 15h38 - Publicado em 13 Jul 2015, 21h05

guardanapo

O biomédico Roberto Martins, também conhecido como Dr. Bactéria, responde:

“Deixar tudo secando naturalmente. O pano de prato só é recomendado se estiver seco e devidamente higienizado – e ele deve ser trocado todos os dias. Do contrário, o melhor é optar pela toalha de papel ou deixar a louça secar naturalmente. Isso porque quando está úmido, após o uso, o pano chega a ter cerca de 1 milhão de micro-organismos a mais do que a tampa de um vaso sanitário.

Segundo uma pesquisa americana realizada no ano passado, foram encontradas, por exemplo, bactérias do grupo coliforme (indicadoras de contaminação) em 89% dos panos analisados. Já a bactéria Escherichia coli foi vista em 26% das amostras. A cozinha é mais contaminada do que um banheiro. É nela que descarregamos verduras e hortaliças, ainda não lavadas, e carnes.

Continua após a publicidade

+ Uma pessoa pode contrair gripe mesmo tendo sido vacinada?

Além disso, quem costuma enxugar as mãos no pano de prato precisa manter duas unidades à disposição: uma para a louça e outra para si. A higienização correta do tecido é feita do seguinte modo: ferva o pano em 1 litro de água com uma colher de bicarbonato de sódio de 3 a 5 minutos. Em seguida, ele deve ser lavado na máquina e, quando seco, passado a ferro.”

+ Álcool em gel substitui a água com sabão para limpar as mãos?

Tem uma dúvida? Deixe sua pergunta na caixa de comentários.

Continua após a publicidade

* O conteúdo deste post não substitui uma consulta especializada. Procure sempre seu médico.

Publicidade