Clique e assine por apenas 6,90/mês
São Paulo nas Alturas Por Raul Juste Lores Redator-chefe de Veja São Paulo, é autor do livro "São Paulo nas Alturas", sobre a Pauliceia dos anos 50. Ex-correspondente em Pequim, Nova York, Washington e Buenos Aires, escreve sobre urbanismo e arquitetura

Uma quadra europeia no Bom Retiro

O Centro Comercial Bom Retiro tem vielas que funcionam de passagem entre as ruas José Paulino e Ribeiro de Lima, mas poderiam ser melhor aproveitadas

Por Raul Juste Lores - Atualizado em 6 Sep 2019, 11h41 - Publicado em 6 Sep 2019, 06h00

João Doria até anunciou uma “Little Seul”, que ficou só na promessa, mas há um achado no Bom Retiro à espera do status que merece. Com sete prédios, entre três e dez andares, e 700 metros de vitrines, o Centro Comercial Bom Retiro (1957-1961) é até hoje uma quadra aberta, apesar da preservação precária.

Quadra aberta e multifuncional no Bom Retiro Raul Juste Lores/Veja SP

Tudo o que as empresas de tecnologia buscam para agradar a seus jovens profissionais — áreas de descanso ao ar livre, bares e cafés perto do trabalho, uma relação menos enclausurada com a rua — sobra por ali, em uma rara vizinhança multiétnica. As ruas internas remetem a vielas europeias. Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios.

À espera de novos ocupantes (e de um bom restauro) Raul Juste Lores/Veja SP

O empreendimento juntou um timaço (os arquitetos Luciano Korngold, Maria Bardelli e Ermanno Siffredi, e os incorporadores Alfredo Mathias, Jacob Lerner e Benjamin Citron), mas o timing errado: os vizinhos trocavam o Bom Retiro por Higienópolis, o uso do carro crescia, e os apartamentos originais foram eliminados. Hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados.

Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios.
Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios. Raul Juste Lores/Veja SP
Apartamentos originais foram eliminados: hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados
Apartamentos originais foram eliminados: hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados Raul Juste Lores/Veja SP

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 11 de setembro de 2019, edição nº 2651.

Publicidade