Uma quadra europeia no Bom Retiro

O Centro Comercial Bom Retiro tem vielas que funcionam de passagem entre as ruas José Paulino e Ribeiro de Lima, mas poderiam ser melhor aproveitadas

João Doria até anunciou uma “Little Seul”, que ficou só na promessa, mas há um achado no Bom Retiro à espera do status que merece. Com sete prédios, entre três e dez andares, e 700 metros de vitrines, o Centro Comercial Bom Retiro (1957-1961) é até hoje uma quadra aberta, apesar da preservação precária.

Quadra aberta e multifuncional no Bom Retiro

Quadra aberta e multifuncional no Bom Retiro (Raul Juste Lores/Veja SP)

Tudo o que as empresas de tecnologia buscam para agradar a seus jovens profissionais — áreas de descanso ao ar livre, bares e cafés perto do trabalho, uma relação menos enclausurada com a rua — sobra por ali, em uma rara vizinhança multiétnica. As ruas internas remetem a vielas europeias. Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios.

À espera de novos ocupantes (e de um bom restauro)

À espera de novos ocupantes (e de um bom restauro) (Raul Juste Lores/Veja SP)

O empreendimento juntou um timaço (os arquitetos Luciano Korngold, Maria Bardelli e Ermanno Siffredi, e os incorporadores Alfredo Mathias, Jacob Lerner e Benjamin Citron), mas o timing errado: os vizinhos trocavam o Bom Retiro por Higienópolis, o uso do carro crescia, e os apartamentos originais foram eliminados. Hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados.

Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios. Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios.

Apesar da boa ocupação de lojas, há muitos andares vazios de escritórios. (Raul Juste Lores/Veja SP)

Apartamentos originais foram eliminados: hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados Apartamentos originais foram eliminados: hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados

Apartamentos originais foram eliminados: hora de voltar com eles, e com coworkings e negócios antenados (Raul Juste Lores/Veja SP)

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 11 de setembro de 2019, edição nº 2651.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s