Clique e assine por apenas 6,90/mês
São Paulo nas Alturas Por Raul Juste Lores Redator-chefe de Veja São Paulo, é autor do livro "São Paulo nas Alturas", sobre a Pauliceia dos anos 50. Ex-correspondente em Pequim, Nova York, Washington e Buenos Aires, escreve sobre urbanismo e arquitetura

Mercado Municipal de Pirituba sofre com péssima conservação

O local, entregue em 1972, apresenta cobertura que lembra pétalas de flores e tem potencial não aproveitado

Por Raul Juste Lores - 29 Mar 2019, 06h00

A cobertura ondulada parece feita de pétalas de concreto, suportadas por um pilar central de 20 metros de altura, de onde saem cabos de sustentação. Essa flor (ou guarda-chuva gigante) é o Mercado Municipal de Pirituba, projetado em 1966 pelo arquiteto Abelardo de Souza.

Construção do Mercado Municipal de Pirituba: entregue em 1972 Figueiredo Ferraz/Divulgação

Foi entregue em 1972, quando quem conseguiu colocá-lo em pé, o engenheiro Figueiredo Ferraz (o mesmo do Masp), tinha acabado de virar prefeito. Poderia ser um marco da Zona Norte, região com escassa arquitetura de qualidade, mas sofre com a péssima conservação. A pobre variedade de bancas, produtos e restaurantes não faz jus a um mercado. O terreno ao redor virou estacionamento.

Vista aérea do Mercado Municipal de Pirituba: cobertura lembra pétalas de flores Reprodução Google Earth/Veja SP
O espaço que serviria de área de conveniência é utilizado como estacionamento Raul Juste Lores/Veja SP
Detalhe da arquitetura Raul Juste Lores/Veja SP
Publicado em VEJA SÃO PAULO de 03 de abril de 2019, edição nº 2628.
Publicidade