O brutalismo do edifício Acal, na Faria Lima

Projetado por Pedro Paulo de Melo Saraiva, em 1974, o prédio tem treliças de concreto em X

Nos anos 1970, a epidemia passadista espalhou neoclássicos e neomediterrâneos pela cidade. E o brutalismo teve escassa aceitação popular, inversamente proporcional ao seu prestígio acadêmico, restrito a prédios públicos e às casas de amigos de arquitetos (com jeitão de bunker). O Acal (de 1974, projeto de Pedro Paulo de Melo Saraiva) é uma raridade do período, entre tantos genéricos na Faria Lima. As treliças de concreto em X, a 60 centímetros dos caixilhos, funcionam também como quebra-sóis. Multiúso, o edifício tem lojas no térreo.

Acal: de 1974, projeto de Pedro Paulo de Melo Saraiva

Acal: de 1974, projeto de Pedro Paulo de Melo Saraiva (Raul Juste Lores/Veja SP)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s