Clique e assine por apenas 5,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Um “detalhe” chamou atenção na primeira coletiva de Jair Bolsonaro

Os jornais impressos foram barrados da primeira coletiva do presidente eleito, realizada nesta quinta (1º) na Zona Oeste do Rio de Janeiro

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 2 nov 2018, 12h22 - Publicado em 2 nov 2018, 11h15

Jair Bolsonaro fez sua primeira coletiva de imprensa como presidente eleito do Brasil nesta quinta (1º), em sua casa em condomínio fechado na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. O político do PSL, que assumirá o cargo no dia 1º de janeiro de 2019, compartilhou um clique do encontro no Instagram, e um “detalhe” acabou roubando a cena. Confira: 

View this post on Instagram

01/11/2018: Coletiva de imprensa. Para assistir clique no link em nossa BIO ou vá a nosso canal no youtube: Jair Bolsonaro

A post shared by Jair M. Bolsonaro (@jairmessiasbolsonaro) on

No clique, parece que a equipe de Bolsonaro improvisou um palanque com uma prancha de bodyboard, uma mesa de vidro e uma estrutura metálica, que muitos internautas acreditam ser um apoio para samambaias — a estrutura, no entanto, não foi suficiente, e foi precisou segurar o equipamento atlético para garantir que os microfones não caíssem. Confira a repercussão:

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Os jornais impressos foram barrados da primeira coletiva do presidente eleito. Em uma lista regulada por uma policial federal na porta do condomínio, Bolsonaro só permitiu que emissoras de TV (menos a TV Brasil), algumas rádios e dois sites entrassem no condomínio na Zona Oeste do Rio de Janeiro. O Estado de São Paulo, a Folha de S. Paulo, O Globo e as agências internacionais não puderam passar da guarita do condomínio.

Quando jornalistas que participaram da coletiva lhe perguntaram por que alguns veículos tinham sido barrados, Bolsonaro respondeu que “não sei quem marcou isso (coletiva)” e que não mandou restringir ninguém. Desde o episódio da facada, Bolsonaro não tem concedido entrevistas a jornais impressos e privilegiado meios eletrônicos, como emissoras de televisão e rádio. As informações são do Estadão Conteúdo.

Dê sua opinião: E você, o que achou do “detalhe” que chamou atenção dos internautas? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade