Clique e assine com até 89% de desconto
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Sander Mecca, do Twister, se apresenta no metrô de São Paulo

O líder da banda, que foi sucesso nos 2000, foi "flagrado" cantando em um vagão da Linha 2-Verde e vídeo da apresentação chamou atenção no Instagram

Por Redação VEJA São Paulo 4 jul 2017, 17h04

Quem era criança ou adolescente durante os anos 2000, provavelmente se lembra da boy band brasileira Twister. Como esquecer da música “40 Graus”, que tocava sem parar na MTV — clique aqui para relembrar o clipe modernoso do single. O líder do conjunto era o jovem Sander Mecca que, na época, tinha 16 anos. Quatorze anos após o fim da banda, ele foi filmado fazendo uma apresentação grátis no metrô de São Paulo.

O vídeo foi publicado pelo DJ Fernando Teles no Instagram: “Toquei muito a música desse cara no rádio. Hoje peguei o metrô em São Paulo e ele estava lá, quase irreconhecível. Ele é o Sander, do grupo Twister, que fez muito sucesso no início dos anos 2000“, escreveu o radialista da rádio Transamérica FM no Instagram. Assista: 

View this post on Instagram

Toquei muito a música desse cara no rádio. Hoje peguei o metrô em SP e ele estava lá, quase irreconhecível. Ele é o Sander do grupo "Twister" que fez muito sucesso no início dos anos 2000. #saopaulo #arte #brasil #fofocalizando #atardeesua #nometro #metro #artenometro #twister #tvfama #rederecord #sbt #leodias #soniaabraao

A post shared by Fernando Telles (@fernandotellesoficial) on

O próprio Sander respondeu ao “flagra” no vídeo publicado no Instagram: “Arte em qualquer parte!“, escreveu. O rapaz, hoje com 33 anos de idade, também aproveitou para divulgar o trabalho solo: “Eu também estou no Spotify. Quem quiser conhecer mais meu som atual, pode buscar!“, explicou. Em seu perfil no Instagram, o músico se define como “cantor e intérprete” e publica muitos vídeos de suas apresentações no metrô de São Paulo. Confira: 

View this post on Instagram

#sopadeletrinhas foto de Roberto Cândido

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

View this post on Instagram

#binholuthier Patrocínio Binho Luthier Binho apóia músicos e artistas de rua. Teodoro Sampaio, 874

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

View this post on Instagram

Foto por @rick_xavier_1

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

View this post on Instagram

Hoje estamos na linha verde! Vai que a gente se encontra… 😊🎶 #musicanometro #sandermecca #mariliacalderon 📷 @claudiasalto

Continua após a publicidade

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

View this post on Instagram

Marilia Calderón e Sander Mecca @musicanometrô #sandermecca #mariliacalderon – " Navio Canção" de Marília Calderón

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

View this post on Instagram

#arteparatodos #músicanaalma #musicanometro #artenometro #sandermecca

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

View this post on Instagram

#prazermeunomeésandermecca #eusouintérprete #músicanaalma

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

https://www.instagram.com/p/BU2dVo4lMck/?taken-by=sandermecca

View this post on Instagram

Noite Severina

A post shared by Sander Mecca (@sandermecca) on

Aos 19 anos de idade, Sander foi preso acusado de porte de drogas. Ele passou um ano e nove meses em um presídio de São Paulo e foi liberado em 2005. “Fiquei um ano superando a reclusão, me readaptando. Não dormia direito, não saia de casa. No segundo ano, comecei a me socializar. Fui começar a pensar em trabalho em 2006, quando comecei a selecionar os textos que eu tinha escrito para fazer o livro. Fiz alguns shows menores e voltei a fazer teatro“, contou ao EGO em 2014.

  • Dê sua opinião: E você, o que achou da transformação de Sander Mecca? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade