Clique e assine com até 89% de desconto
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Rachel Sheherazade defende William Waack no Facebook

"Um dos jornalistas mais brilhantes da TV brasileira foi o último alvo dos fundamentalistas da moral seletiva", escreveu na madrugada desta sexta (10)

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 10 nov 2017, 13h50 - Publicado em 10 nov 2017, 13h49

Rachel Sheherazade dividiu opiniões após defender William Waack em uma publicação feita nas redes sociais na madrugada desta sexta (10). O âncora do Jornal da Globo foi afastado da bancada do Jornal do Globo após acusação de racismo — clique aqui para saber mais. No Facebook, Rachel disse que “um dos jornalistas mais brilhantes da TV brasileira” foi vítima dos “fundamentalistas da moral seletiva”.

Caiu na armadilha pérfida dos coleguinhas invejosos, esquerdistas acéfalos e medíocres de todas as nuances. O ‘hipocritamente correto’ venceu mais uma vez. Feriu de morte o brilhante Paulo Francis, atropelou o Boris Casoy, trapaceou Reinaldo Azevedo e agora condenou à execração pública William Waack. E o jornalismo brasileiro fica a poucos passos da total acefalia“, escreveu na rede social. Confira: 

Sheherazade aproveitou a oportunidade lançar a hashtag “sem Waack não dá”. No entanto, a opinião da âncora do SBT, que sempre chama atenção com suas opiniões polêmicas, dividiu opiniões nas redes sociais. Não demorou muito até que seu nome aparecesse entre os assuntos mais comentados do Twitter. Confira a repercussão: 

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

No Facebook, internautas também debateram a questão: “Sou seu defensor, mas foi racismo sim! Só porque é colega de profissão que deixou de ser. Apaga que dá tempo, Sheherazade!“, escreveu um rapaz. “Racismo é burrice, e defender racista é mais burrice ainda!“, opinou outro. “Nossa, nunca imaginei que você fosse defender esse ato vergonhoso desse senhor. Te admirava muito, mas agora nem tanto“.

  • A jornalista, no entanto, pareceu não se preocupar com a repercussão negativa: sua publicação defendendo Waack segue no Facebook e ela também respondeu aos críticos na rede social: “Não estou preocupada com sua decepção. Tenho orgulho de mim mesma. Eu me basto. Eu me amo!“.

    Dê sua opinião: E você, o que achou da opinião de Rachel Sheherazade? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook.

    Continua após a publicidade
    Publicidade