Clique e assine por apenas 5,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Jovem perde 80% da visão após procedimento controverso

"Essa cirurgia acabou com a minha vida", contou a mulher de 32 anos de idade

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 12 abr 2018, 19h27 - Publicado em 12 abr 2018, 18h07

Nadinne Bruna, uma modelo de 32 anos de idade, perdeu quase toda sua visão após fazer um procedimento controverso para mudar a cor de seus olhos. Agora, ela afirma que tem a vista de “uma pessoa de 90 anos de idade”. No tratamento, silicone foi injetado nos olhos castanhos da jovem para transformá-los em cinza claro — mas a cirurgia deu errado.

A jovem argentina, que mora em Miami, nos Estados Unidos, foi até Bogotá, na Colômbia, para fazer o procedimento, que não é autorizado no país americano. Meses após a cirurgia, a visão de Nadinne ficou borrada e os olhos da jovem passaram a ficar doloridos. A dor era tanta, que a modelo teve que cancelar aparições em ensaios fotográficos, sua principal fonte de renda. A mulher, que tem 198 000 seguidores no Instagram, tem agora um dano irreversível nos olhos. Resultado: depressão.

A cirurgia foi feita em 2016, mas só agora Nadinne conseguiu falar sobre a experiência: “Antes da cirurgia, meus olhos estavam completamente saudáveis. Eles estavam em uma condição ótima. Eu fui muito ingênua. Desde a cirurgia, eu tenho a visão embaçada. Por cerca de um ano, meus olhos estavam constantemente vermelhos e irritados. As minhas pupilas não conseguem mais se ajustar à luz e eu terei que passar por um transplante de córnea. Também sofro de catarata“, desabafou a mulher ao The Daily Mail. “Essa cirurgia acabou com a minha vida“.

A modelo também desenvolveu glaucoma devido aos danos do seu nervo óptico. “Após a cirurgia, eu entrei em depressão profunda. Sou uma pessoa muito forte, normalmente muito valente e inteligente, mas isso foi completamente estúpido. Eu confiei na pessoa errada. Agora, eu tenho a visão de uma senhora de 90 anos de idade, mas espero conseguir manter meu glaucoma sob controle“, contou a jovem.

Continua após a publicidade

Em março e junho de 2017, Nadinne retornou à cidade de Bogotá para enfrentar novos procedimentos na esperança de recuperar o dano sofrido. As tentativas, no entanto, não tiveram sucesso e ela foi obrigada a procurar ajuda médica nos Estados Unidos. Um time de oftalmologistas removeu os implantes perigosos em setembro do ano passado.

A Dra. Ranya Habash, responsável pelo procedimento, alertou que o procedimento feito pela modelo causa danos “irreparáveis” aos olhos: “O problema de injetar uma placa de silicone nos olhos é que ela irá entupir as vias, como se uma pia estivesse entupida. A pressão aumenta dentro dos olhos, causando inflamações e danificando as estruturas. Há um motivo pelo qual o procedimento não é legalizado nos Estados Unidos. Ele pode causar danos irreparáveis“.

Por causa da intervenção feita na Colombia, Nadinne perdeu 80% de sua visão no olho direito e 50% no esquerdo. A jovem pagou 3 000 dólares (cerca de 10 000 reais) ao Dr. Eugenio Carbera. Ela diz que não tomou providências legais contra o médico porque não está em posição financeira para acionar advogados. No Instagram, alerta seus seguidores para os riscos do procedimento controverso.

A jovem, no entanto, não pretende abandonar as cirurgias plásticas ou outros procedimentos estéticos, mesmo após a experiência traumática: “Não acho que cirurgias são ruins. Eu só não sabia os riscos e cometi um erro ao não pesquisar mais informações. No mês que vem, farei uma cirurgia para remover os meus seios porque eu perdi muito peso no último ano e é algo que eu preciso fazer“, contou a mulher. 

Dê sua opinião: E você, o que achou da história de Nadinne Bruna? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade