Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Mãe gasta 8 300 reais para presentear os três filhos neste Natal

"Finalmente esvaziei os armários do Natal para ver o que eu acumulei nos últimos meses", escreveu a mulher no Facebook

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 18 dez 2018, 18h12 - Publicado em 18 dez 2018, 18h11

Para muitas crianças, o Natal é época de ganhar presentes e esperar pelo Papai Noel. Mas há um limite? O quão aceitável é dar muitos presentes para a garotada? Para uma mãe australiana, parece que não há limites para surpreender os filhos na manhã do dia 25 de dezembro: Kristy Nowak gastou cerca de 8 300 reais para presentear os três filhos com dezenas de presentes.

A mulher compartilhou fotos dos presentes no Facebook: “Finalmente esvaziei os armários do Natal para ver o que eu acumulei nos últimos meses. Eu sinceramente achei que o Emery ganharia muitos mais presentes que Autumn e Kainan… aparentemente, não. Eu já disse que eu odeio embrulhar presentes?”, escreveu a mulher exibindo pilhas e mais pilhas de brinquedos. Confira: 

Não demorou até que alguns pais criticassem a mulher por influenciar o “consumismo”. Outros também ironizaram o tempo que a mulher perderá fazendo todos os embrulhos para presentes. Ela, no entanto, não se importa com os críticos — e diz que não permitirá que a sociedade a culpe por dar muitos presentes aos filhos: “A sociedade tentará te convencer que há algo errado em mimar as suas crianças, ou tentar te culpar por isso”, disse ao Daily Mail. Ela também garante que não sente culpa alguma por comprar todas as lembranças para as crianças.

A mulher demorou cinco meses para comprar todos os presentes, que ficaram espalhados por 14 armários em sua residência até o momento. Ela antecipou as compras de Natal para evitar o “pânico” nos shoppings. “As pessoas falam mal porque não podem fazer a mesma coisa, elas têm muita inveja”, garante a mulher após a polêmica.

Dê sua opinião: E você, o que achou da história? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade