Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Patricia Abravanel se pronuncia após discurso homofóbico no SBT

A apresentadora disse que 'tudo bem' não concordar com o casamento entre pessoas do mesmo sexo; "Não é questão de opinião", lembrou sobrinho

Por Redação VEJA São Paulo 3 jun 2021, 10h28

Patrícia Abravanel, 43, falou na última quarta-feira (2) sobre a declaração que deu no programa Vem Pra Cá, do SBT. Ela defendeu que membros da comunidade LGBTQIA+ sejam mais compreensivos com pessoas “conservadoras” e que tudo bem discordar com o casamento entre pessoas do mesmo sexo.

“Aqui, damos espaço de fala, de diálogo, buscando aprender mais do que impor opiniões”, escreveu a apresentadora. Ela também publicou um vídeo em que tenta explicar o comentário, alvo de muitas críticas na internet, inclusive de seu sobrinho, Tiago Abravanel.

“Para quem, assim como eu, tem dificuldades de explicar a sigla LGBTQIA+, o nosso fotógrafo Gabriel Cardoso explicou tudo muito bem no programa Vem Pra Cá! Para quem não assistiu, convido a todos a aprender, refletir e, acima de tudo, amar mais.

Entenda

A filha de Silvio Santos disse durante o programa Vem Pra Cá, do SBT, que pessoas gays deveriam compreender a quem ela chamou de ‘conservadores’, além de debochar da sigla LGBTQIA+. Ela comentava a polêmica envolvendo Caio Castro e Rafa Kalimann, que compartilharam um vídeo com teor homofóbico de um pastor, que diz não concordar com casamento gay, mas respeitar.

“Acredito que nós, mais velhos e que fomos educados por pais mais conservadores, estamos aprendendo, estamos nos abrindo, mas é um direito também das pessoas respeitarem. Por que não concordar em discordar? Podemos ter opiniões diferentes, e tudo bem! Tudo é muito enfatizado, muito polemizado”, afirmou Abravanel.

“Acho que, assim como LGBTYH (sic), não sei, querem o respeito, eles têm que ser mais compreensíveis com aqueles que hoje ainda não entendem direito ou estão se abrindo para isso”, continuou ela. “O que vou falar para o meu filho? Como falar? Então tem que ter respeito, compreensão e não fazer um massacre. Não é por força, poder, mas por diálogo, conversa, respeito.”

Tiago Abravanel explicou o motivo de ser contra o casamento de pessoas do mesmo sexo não é questão apenas de opinião. “Opinar você opina se uma roupa é bonita ou feia para você. Se você quer café ou chá ou se você gosta de doce ou salgado. A orientação sexual não é da opinião de ninguém. A não ser da pessoa que escolheu ser aquilo que ela é. Escolheu não. Ela nasceu assim”, disse Abravanel.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade