Paolla Oliveira exibe novo visual e posta “textão”

"Padrões que realmente me interessam são os meus", diz a atriz

A atriz Paolla Oliveira tem feito algumas postagens nas rede sociais para mostrar seu novo visual. A artista, que completa 36 anos neste sábado (13), exibe agora os fios mais claros e um pouco mais curtos, pouco abaixo dos ombros.

Na sexta (13), Oliveira publicou um vídeo movimentando as madeixas. Neste sábado (14), postou uma foto de seu novo cabelo com um texto reflexivo sobre a beleza, idade, padrões…

“Sou o que quiser, irei aonde for, e como bem me parecer! Porque padrões que realmente me interessam são os meus…”, escreveu a atriz.

Quem foi o ser que inventou que devo ser discreta antes de espontânea, divertida, gentil?”, questiona. No fim do post, põe um adendo. “Meu texto é para todos que me inspiram todos os dias, há 36 anos, perto ou longe. E por tudo que aprendi e reaprendi nessa vida.”

Em que idade me sinto mais bonita? Se estou preocupada por envelhecer? Qual é essa idade para ser mais feliz, o auge, o ápice? Idade em que o sorriso está sempre na moda? A idade em que vou entender de que maneira devo ser para ter liberdade e tranquilidade de ir e vir como quiser? Em qual delas vou ser mais respeitada? Quem foi o ser que inventou que devo ser discreta antes de espontânea, divertida, gentil? Quem disse que precisamos de tantos pequenos e grandes encaixes? Regras a seguir: rir mais alto, sair da dieta, responder a algumas perguntas de maneira bem óbvia, não saber tudo, errar, mudar o caminho, não se encaixar em nada, e às vezes ser como todo mundo. Ter olhar transformador, chorar, aprender sobre filhos, tecnologia e música. Ficar em silêncio. A beleza é essa. Sem perguntas, nem grandes respostas… Serei feliz enquanto tiver vida. Para usar uma roupa que amo e me sentir bem e bonita, preciso basicamente existir. Amo me cuidar mas sem me distrair: antes de tudo, meu corpo é lindo por ser meu! Aliás, tudo que vem de alguém especial por dentro reflete por fora… Deixe colorir os lábios e a alma. Minha cor hoje seria alegria, se a alegria tivesse cor. Por tudo que passei, por tudo que me marcou e por onde um pouco de mim ficou. Então: sou colorida, de arco-íris e de azul com as bolinhas da mesma cor. E mais do que tudo sou o que quiser, irei aonde for, e como bem me parecer! Porque padrões que realmente me interessam são os meus… o de ser feliz, amar, ser amada, ser confiante, respeitar, ser respeitada. Quero me orgulhar de quem sou todo dia. Descobri que temos DUAS vidas, a segunda começa quando você se dá conta de que só tem uma. (Meu texto é para todos que me inspiram todos os dias, há 36 anos, perto ou longe. E por tudo que aprendi e reaprendi nessa vida)

A post shared by Paolla Oliveira (@paollaoliveirareal) on

Leia o texto completo:

Em que idade me sinto mais bonita? Se estou preocupada por envelhecer? Qual é essa idade para ser mais feliz, o auge, o ápice? 
Idade em que o sorriso está sempre na moda? A idade em que vou entender de que maneira devo ser para ter liberdade e tranquilidade de ir e vir como quiser? Em qual delas vou ser mais respeitada? 
Quem foi o ser que inventou que devo ser discreta antes de espontânea, divertida, gentil? Quem disse que precisamos de tantos pequenos e grandes encaixes?
Regras a seguir: rir mais alto, sair da dieta, responder a algumas perguntas de maneira bem óbvia, não saber tudo, errar, mudar o caminho, não se encaixar em nada, e às vezes ser como todo mundo. Ter olhar transformador, chorar, aprender sobre filhos, tecnologia e música. Ficar em silêncio.
A beleza é essa.
Sem perguntas, nem grandes respostas…
Serei feliz enquanto tiver vida.
Para usar uma roupa que amo e me sentir bem e bonita, preciso basicamente existir. Amo me cuidar mas sem me distrair: antes de tudo, meu corpo é lindo por ser meu! Aliás, tudo que vem de alguém especial por dentro reflete por fora… Deixe colorir os lábios e a alma.
Minha cor hoje seria alegria, se a alegria tivesse cor. Por tudo que passei, por tudo que me marcou e por onde um pouco de mim ficou. 
Então: sou colorida, de arco-íris e de azul com as bolinhas da mesma cor.
E mais do que tudo sou o que quiser, irei aonde for, e como bem me parecer!
Porque padrões que realmente me interessam são os meus… o de ser feliz, amar, ser amada, ser confiante, respeitar, ser respeitada. Quero me orgulhar de quem sou todo dia. 
Descobri que temos DUAS vidas, a segunda começa quando você se dá conta de que só tem uma. (Meu texto é para todos que me inspiram todos os dias, há 36 anos, perto ou longe. E por tudo que aprendi e reaprendi nessa vida)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s