Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Novidades da cultura pop e da internet

Médicos tiram 14 vermes do olho esquerdo de paciente nos EUA

O incômodo ficou insuportável e a jovem de 28 anos resolveu olhar o problema mais de perto, encontrando o verdadeiro culpado pela "irritação"

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 15 Feb 2018, 19h13 - Publicado em 15 Feb 2018, 18h43

Abby Beckley, que mora com a família em Oregon, nos Estados Unidos, percebeu que havia algo muito errado com seus olhos, no verão de 2016. Na época, a mulher trabalhava em um barco de pesca de salmão no Alasca. Algo estava fazendo com que a vista da jovem de 28 anos ficasse irritada. A coceira era quase insuportável.

A mulher aturou os sintomas por cerca de uma semana achando se tratar de um cílio que estava atrapalhando sua vista. O incomodo ficou insuportável e ela resolveu olhar mais de perto a situação no espelho e encontrou o verdadeiro culpado pela irritação: um verme translúcido de cerca de 1,2 centímetros. O “intruso”, para piorar, não estava sozinho.

Ao chegar no hospital, Abby foi atendida com urgência, mas médicos não conseguiam entender qual era o problema. Os profissionais, pouco depois conseguiram remover mais quatro vermes do olho esquerdo da paciente. A jovem retornou para casa e marcou uma consulta com os doutores da Oregon Health and Science University’s Emergency Department. Não demorou muito até que ela conseguisse sentir o movimento dos vermes. Ela não hesitou ao alertar os médicos, que ficaram chocados com a situação.

Os médicos fizeram uma pequena conferência com especialistas em doenças infecciosas e descreveram os vermes dos olhos de Abby: “Essa paciente tem vermes saindo dos olhos dela. O que nós vamos fazer?“, relembra Erin Bonura, professor assistente na OHSU School of Medicine. O time da universidade enviou uma mostra dos bichos quase microscópicos para o Centro de Controle e Prevenção de Doenças. Enquanto isso, a mulher continuou retirando, sozinha, os “invasores” do olho esquerdo — ela fazia o “procedimento” de maneira mais hábil que os próprios médicos. Confira:

Continua após a publicidade

Apesar da falta de respostas, os médicos conseguiram acalmar Abby ao revelar que as vermes ainda estavam na superfície do seu olho e não tinham feito nenhum “túnel” na direção do seu cérebro. “Eu fiquei muito satisfeita. O Dr. Bonura estava disposto a conversar comigo e foi muito atencioso“, contou a paciente.

No Centro de Controle e Prevenção de Doenças, os médicos faziam um trabalho digno de detetives. Apenas algumas infeções com vermes de olhos são encontradas em humanos nos Estados Unidos — todas da espécia Thelazia Californiensis. As “minhocas” encontradas nos olhos de Abby, no entanto, eram da espécie Thelazia Gulosa que, supostamente, não infectava humanos.

Os vermes normalmente infestam gado para se alimentar de suas lágrimas, quando moscas posam nos animais. Médicos acreditam que Abby pode ter sido infectada por uma mosca que posou em seu olho enquanto ela andava a cavalo ou pescava na região de Oregon, seu estado natal e também uma área com várias fazendas de gado. Ao todo, 14 vermes foram extraídos do olho da jovem, o último no dia 30 de agosto de 2016. Agora, a jovem está compartilhando sua história para conscientizar e inspirar outras pessoas: mesmo com uma situação tão rara e assustadora, tudo deu certo no final.

Continua após a publicidade

Ao contrário da maioria dos animais que podem ser afetados pelos vermes, humanos podem retirar as “minhocas”, então os casos raramente têm consequências mais graves — remédios antiparasitas também podem ajudar no tratamento. No entanto, vermes de olho podem arranhar a córnea, provocando problemas de visão em alguns casos. Por sorte, não foi o caso de Abby. “Infecções dos vermes Thelazia acontecem, em sua maioria, com animais, e humanos são apenas hospedeiros acidentais“. As informações são do site Business Insider.

Dê sua opinião: E você, o que achou da história assustadora? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Publicidade