Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Após comentário, Otaviano Costa defende Flávia Alessandra

Uma seguidora questionou as "intenções" da atriz, que está no Líbano participando do Movimento Amor Sem Fronteiras e visitando crianças refugiadas

Por Redação VEJA São Paulo 17 abr 2017, 11h28

A atriz Flávia Alessandra está no Líbano participando do Movimento Amor Sem Fronteiras, que ajuda crianças refugiadas de zonas de guerra. Neste domingo (16) de Páscoa, ela fez uma visita a um dos centros comunitários onde os jovens vivem e aproveitou a oportunidade para divulgar a causa em seu perfil no Instagram. Uma seguidora, no entanto, ironizou a atitude da famosa.

Mas foi aí para fazer alguma coisa em prol deles ou foi só para tirar foto mesmo?“, comentou a mulher. Quem não aceitou a crítica foi o apresentador Otaviano Costa, marido de Flávia Alessandra, que resolveu rebater a mensagem: “Por que partir de um olhar maldoso? Por que acreditar que há algo maior que o interesse em fazer o bem, não importa a quem? Neste domingo de Páscoa, reflita se não são os seus princípios e intenções que andam precisando de questionamentos“, comentou.

  • Esta sua frase reflete um mal comum, cada vez mais disseminado pela internet: o de julgar o próximo. Ela está numa empreitada maravilhosa humanitária com muitos outros e quanto mais fotos (obviamente ‘menores’ que as ações realizadas), maior é a repercussão e a disseminação do que anda acontecendo neste mundo, onde crianças refugiadas, traumatizadas e sobreviventes do horror da guerra, sem seus pais (muitos órfãos), país e sem perspectiva, vivem em acampamento de refugiados, em busca somente de amor“, desabafou. Confira o clique original: 

    View this post on Instagram

    Páscoa com fé @movimentoamorsemfronteiras #criancasrefugiadas #amorsemfronteiras #amor

    Continua após a publicidade

    A post shared by Flávia Alessandra 🅰️+ (@flaviaalessandra) on

    E, se você quiser saber mais sobre o que ela e outros andam fazendo por lá e por aqui no Brasil, para ajudar a amenizar a vida destas crianças, veja o perfil @amorsemfronteiras. Aqui, ali, no lixão de Gramacho ou no Líbano, vejo como você pode ajudar e pare de julgamentos. O homem que hoje lembramos e saudamos com amor, morreu julgado e crucificado. Viva a lição que ele nos deixou. Boa tarde“, completou Otaviano Costa.

    Dê sua opinião: E você, o que achou da resposta de Otaviano Costa? Deixe seu comentário e aproveite para  curtir nossa página no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade