Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Jovem sofre queimaduras após fazer tatuagem temporária em viagem

"Eu estava bem, mas após dez dias o desenho começou a arder e se apagou", revelou a jovem, que agora quer alertar outros turistas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 10 ago 2017, 19h54 - Publicado em 10 ago 2017, 18h19

Se você já viajou à praia, provavelmente já fez uma tatuagem de henna. Chloe Goodwin, de 20 anos de idade, estava passeando na enseada da Bulgária quando decidiu fazer uma tattoo temporária de uma flor em seu antebraço esquerdo usando henna preta. Em um primeiro momento, a mulher, que mora na Inglaterra, sentiu-se bem. Após dez dias, no entanto, sua pele reagiu à tinta.

O desenho começou a arder e se apagou. Quando eu voltei para casa, os médicos do pronto-socorro me deram antibióticos. Todos me disseram a mesma coisa: a tinta preta da tatuagem de henna provocou uma queimadura química e eu terei uma cicatriz para sempre“, revelou a jovem ao The Daily Mirror.

Eu estou usando antibióticos fortíssimos, corro alto risco de contrair sepse, uma complicação potencialmente fatal de uma infecção e não posso mais tingir o meu cabelo“. Confira: 

Chloe disse que, assim que a tatuagem desapareceu, a região começou a coçar e queimar. Agora, ela quer alertar outras pessoas para a gravidade do problema: “Cometi este erro estúpido ao fazer esta tatuagem temporária e posso ter cicatrizes para o resto da minha vida. Estou tomando antibióticos fortíssimos por causa da química na tinta e, a qualquer alteração, minha família precisa ligar para a emergência me levar para o hospital“, desabafou a jovem. “Eu não estou fazendo isso pela atenção. Este é um aviso às outras pessoas sobre os perigos que ela pode causar“.

Não sejam enganados. Nem se um teste foi feito. A tatuagem ficou onze dias na minha pele até eu sentir uma reação. Não cometam o mesmo erro estúpido“, finaliza a jovem.

Tatuagens de henna são muito populares em viagens. A “henna preta”, no entanto, pode conter uma substância chamada parafenilenodiamina. O produto químico pode ser encontrado em pinturas para cabelo e até em tinturas para sobrancelha, mas é raramente usado em tatuagens de henna. Ele pode provocar o pipocamento da pele, queimaduras doloridas e até cicatrizes, como é o caso de Chloe. Na internet, é possível encontrar muitas pessoas desabafando sobre a alergia ao ingrediente.

Dê sua opinião: E você, o que achou da história da jovem? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

Continua após a publicidade

Publicidade