Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Novidades da cultura pop e da internet

Jovem é proibida de andar a cavalo após internautas notarem detalhe assustador em clique no Facebook

Uma mulher foi proibida de cuidar de cavalos depois de ter publicado no Facebook uma foto de um animal, chamado Troy, que já participou de corridas profissionais. O motivo? Ele apresentava uma aparência esquelética e nada saudável. A britânica Charlotte McPherson foi denunciada à Sociedade Real de Prevenção à Crueldade Animal por ter sido clicada cavalgando a mascote […]

Por VEJASP - Atualizado em 25 Feb 2017, 20h43 - Publicado em 8 Dec 2016, 19h11

ABRE02

Uma mulher foi proibida de cuidar de cavalos depois de ter publicado no Facebook uma foto de um animal, chamado Troy, que já participou de corridas profissionais. O motivo? Ele apresentava uma aparência esquelética e nada saudável. A britânica Charlotte McPherson foi denunciada à Sociedade Real de Prevenção à Crueldade Animal por ter sido clicada cavalgando a mascote em março de 2016.

+ Jovem de 27 anos será a primeira mulher a visitar todos os 196 países do mundo
+ Na Indonésia, gato não abandona túmulo da dona há um ano e comove a internet

Na época, Charlotte cobriu as costelas de Troy com um cobertor, o que evitou que os organizadores percebessem o estado do cavalo. No entanto, após fotos do evento serem publicadas no Facebook, ela foi denunciada por organizações ligadas aos direitos dos animais. Na segunda (5), ela admitiu que praticou “crueldade animal”. A jovem de 22 anos de idade foi acusada de provocar sofrimento desnecessário ao não investigar os motivos da má qualidade de vida do animal e por falhar ao protegê-lo da dor, sofrimento, ferimentos e doenças ao cavalgá-lo naquele estado.

Continua após a publicidade

Após a acusação, Charlotte foi proibida de manter cavalos pelos próximos 10 anos. Ela também fará serviços comunitários por 12 meses, 160 horas de trabalho não pago e precisará pagar 360 libras (cerca de 1,5 mil reais) pelos custos do processo e auxílio à vítima. Thor agora está sob responsabilidade da instituição Retraining of Racehorses.

Thor estava muito magro e era possível basicamente todos os ossos em seu corpo. Ele estava obviamente muito mal e, após um veterinário avaliar sua estrutura, a condição do seu corpo recebeu ima nota zero de cinco por causa de seu peso. McPherson, no entanto, continuou a cavalgá-lo duas vezes por semana, incluindo um passeio por diversão na floresta de Bissell“, explicou Suzi Smith ao The Daily Mail, inspetora da organização responsável pela acusação.

01

Ele não estava apenas magro, mas tinha uma inflamação na espinha que estava em contato direto com a sela. Thor estava enfrentando muita dor durante as cavalgadas“, explicou. A história do cavalo, no entanto, terá um final feliz: “Ele está indo muito bem e já foi realocado para uma nova casa. Ele está adorando sua nova vida e, quando você o vê trotando pelo campo, você não consegue acreditar no estado em que ele estava no começo de 2016“, comentou Smith.

Continua após a publicidade

03

04

Neville Cope, de 74 anos de idade, responsável por organizar o passeio pela floresta de Bissell em março, diz que está feliz que a jovem foi penalizada: “Ela escondeu as costelas com o cobertor. Nós temos um veterinário que garante que os animais estão bem, mas com a manta por cima ele não pode avaliá-lo. Quando ela voltou da corrida e tirou a cobertura, todos nós ficamos chocados. Estou contente que a justiça foi feita“, revelou o homem. “Eu trabalhei com cavalos a minha vida inteira e nunca vi um animal em tão mau estado, foi estarrecedor“, finalizou.

Dê sua opinião: E você, o que achou da horrível história protagonizada por Troy? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook.

Publicidade