Clique e assine com até 89% de desconto
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Jovem pede para ser liberada para assistir “Game of Thrones”

"É importante salientar como este seriado trata de vários temas fundamentais do mundo corporativo", justificou em carta entregue à gerente

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 13 jul 2017, 17h53 - Publicado em 13 jul 2017, 17h36

A sétima temporada do seriado Game of Thrones estreia neste domingo (16) e, na internet, os fãs já estão empolgadíssimo — e ansiosos. A expectativa é tão grande, que a jovem Andrezza Malcher, recepcionista de um hotel na cidade de Belém, no Pará, escreveu uma carta para a gerente do endereço explicando a importância da série da HBO pedindo para ser liberada para assistir aos episódios.

Na terça (11), a recepcionista de 25 anos de idade compartilhou com seus amigos no Facebook o apelo que fez à gerente. Não demorou para que outros fãs de Game of Thrones se solidarizassem com o pedido, compartilhando a carta, que viralizou rapidamente nas redes sociais. E, sim, Andrezza também já leu todos os livros da série de fantasia de George R. R. Martin. “Eu pedi para conversar com a minha gerente e avisei que tinha uma carta para entregar. Ela ficou até nervosa, achando que era uma carta de demissão“, contou a jovem ao Jornal EXTRA.

Então, quando entreguei, ela começou a rir muito e chegou a dar uma olhada na escala, respondeu apenas ‘vamos ver’, mas fiquei tranquila com isso. Não ficou nada definido ainda“, conta a jovem, respondendo à pergunta da maioria dos internautas: afinal, a estratégia deu certo? “Tive a ideia de fazer por brincadeira. Minha gerente até gosta de Game of Thrones também e comecei a pesquisar algumas coisas na internet e me lembrei que tinham feito, nos Estados Unidos, algo parecido para a Copa do Mundo“. Confira: 

Prezada gerente“, começa Andrezza na carta. “Venho respeitosamente através desta requerer minha ausência no trabalho durante o intervalo de hora de 21h30 a 23h30 nos dia 16/07, 23/07, 30/07, 06/08, 13/08, 20/08 e 27/08, em razão de um evento internacional que é a transmissão da maior produção televisiva atual, o seriado Game of Thrones que há sete anos acompanho e possui uma enorme importância pessoal“, escreve Andrezza.

Na sequência, ela fala sobre a importância do trabalho: “Compreendo que minha ausência em meu horário pré-determinado de trabalho afeta negativamente a empresa, porém, estar trabalhando nestes períodos indicados afetará, significativamente, minha produtividade, por saber que todos que conheço, exceto eu, estarão, naquele momento, vendo o que foi, por um ano, tão ansiosamente aguardado por mim“, diz a carta. “Me ponho à disposição para compensar essas horas da melhor maneira para a empresa, ou adaptar a escala, para que meus turnos não coincidam com esses horários de modo que ninguém se prejudique“.

A melhor parte, no entanto, fica para o fim da mensagem: “É importante salientar como este seriado trata de vários temas fundamentais do mundo corporativo, como sobre respeito e a lealdade por opção com a personagem Daenerys e seus imaculados; o trabalho em equipe com as diversas alianças criadas; a importância de um networking com o Varys e do planejamento com o Mindinho; a relevância da participação e ascensão da mulher na política com Cersey, Daenerys e Catelyn e várias outras; os diversos tipos de liderança com os vários autointitulados reis; as resoluções de conflitos, mostradas em várias situações durante a história; a nunca se subestimar e apesar de tudo, almejar a glória, com Jon Snow, não importa o quão bastardo você é, você sempre pode se tornar o Senhor Comandante da Patrulha da Noite“.

Isso que é uma aula de Game of Thrones!

  • Dê sua opinião: E você, o que achou da carta de Andrezza? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade