Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

iPhone continua funcionando após passar duas semanas no fundo de um rio

O smartphone foi encontrado por um mergulhador, que promoveu o reencontro do aparelho com o dono em vídeo com mais de 930 000 visualizações

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 5 fev 2020, 14h03 - Publicado em 13 jun 2018, 17h54

O jovem Dallas tem um canal pra lá de inusitado no YouTube: em Man + River, ele explora rios em busca de pequenos tesouros perdidos, como jóias ou óculos de sol. O rapaz, no entanto, não esperava encontrar um iPhone X em sua última excursão ao Salt River, no Arizona, Estados Unidos. O mais surpreendente? O smartphone ainda funcionava após passar mais de duas semanas submerso.

Depois que recuperou o celular, Dallas deixou o iPhone X secando por três dias — o smartphone ficou imerso num compartimento com pequenas cápsulas de silicone. O rapaz até usou um secador para recuperar o aparelho. Ao ligá-lo na tomada, as luzes começaram a acender e o rapaz pode retirar o cartão SIM para encontrar o dono que perdeu o celular no rio. “Alguns usuários têm um ‘celular backup’ que usam após perderem os aparelhos, mas ainda têm o mesmo número“, explicou.

Dallas enviou uma mensagem para uma mulher chamada Alyssa King, questionando se ela havia perdido um celular pouco tempo atrás. A mulher respondeu empolgada que sim e revelou que perdeu o celular quando estava de férias, duas semanas antes. “Nós deveríamos fazer um comercial para a Apple. Isso é bem impressionante para um iPhone X“, respondeu Dallas.

Alyssa ficou especialmente feliz ao reencontrar o iPhone porque o aparelho tinha as fotos de sua filha recém-nascida, que tem apenas cinco meses de idade. “Eu tinha todas as fotos dela no meu celular e não tinha um backup. Eu fiquei arrasada“, explicou. “Você ter encontrado esse celular… Isso virou a minha vida de cabeça para baixo“.

Publicado no sábado (8), o vídeo já acumula mais de 930 000 visualizações. “Esta é a melhor parte do meu trabalho. Encontrar os donos desses objetos que foram perdidos e promover o reencontro. Eu estou tão feliz que deu certo! Me diverti muito com essa história. Alyssa foi tão gentil e estava tão feliz por ter recuperado o celular com todas as fotos“, explicou Dallas. Assista: 

Dê sua opinião: E você, o que achou da história de Dallas? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade