Clique e assine por apenas 5,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Fausto Silva dá o que falar ao comentar intervenção no Rio no “Domingão”

"Não é de uma hora para a outra que uma intervenção, como num passe de mágica, vai acabar com 30 anos de desgraça", disse o apresentador neste domingo (1º)

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 2 abr 2018, 21h26 - Publicado em 2 abr 2018, 13h46

Fausto Silva voltou a surpreender os espectadores do Domingão do Faustão ao comentar a intervenção militar no Rio de Janeiro. Durante o “Ding Dong”, o apresentador conversava com Luan Santana quando questionou a convidada Bárbara Paz sobre um projeto da atriz, que está fazendo um documentário sobre a Rocinha. “A Rocinha é muito mais que uma simples favela, é uma cidade, tem mais de 200 000 habitantes“, disparou Fausto Silva.

Mostra bem a ausência do poder público. O brasileiro em geral é abandonado, paga imposto e não recebe absolutamente nada, só vê corrupção e, o pior, o desalento de não ter um poder em que confiar. Por isso a gente fala: tem que pensar bem em quem votar“, disse o apresentador. “Saber dos problemas, todo mundo sabe. Nessa enquete do jornalismo da Globo todo mundo sabe que é educação, saúde pública, segurança, emprego é o mínimo que qualquer país civilizado tem que ter“, disse, referindo-se à campanha “O Brasil que eu Quero”, da Rede Globo.

Na sequência, Faustão quis saber se o documentário idealizada por Bárbara irá “mostrar a realidade nua e crua”: “Ainda é um embrião, é um projeto. Eu passei o Natal lá e isso gerou um começo de documentário. A desigualdade social é muito grande nesse país e estamos vivendo um momento terrível. Esperamos que isso não se prolongue muito, mas não estamos sendo otimistas nesse caso“, respondeu a atriz.

Você tem que ser realista. Não é de uma hora para a outra que uma intervenção, como num passe de mágica, vai acabar com 30 anos de desgraça. Aqui no Brasil é uma hipocrisia, ‘não vou mais falar favela, vou falar comunidade’. Po**a, não muda o nome, tem que mudar a realidade. Isso não muda nada, é uma ‘quas, quas, quas’ e o povo não aguenta mais“, disparou Fausto Silva — clique aqui para assistir ao momento.

Dê sua opinião: E você, o que achou do comentário de Fausto Silva? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade
Publicidade