Clique e assine por apenas 6,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Novidades da cultura pop e da internet

Esta jovem publicou uma foto chocante para denunciar os problemas enfrentados por garçonetes

Nicola Gavins, uma mulher que vive na cidade canadense de Edmonton, em Alberta, resolveu publicar um desabafo em sua conta pessoal no Facebook para ajudar uma amiga garçonete: de acordo com a jovem, a profissional foi obrigada a trabalhar de salto alto, o que provocou a perda de uma unha, além de ter deixado seus pés […]

Por Tatiane Rosset - Atualizado em 26 Feb 2017, 12h01 - Publicado em 12 May 2016, 18h54

ABRE01

Nicola Gavins, uma mulher que vive na cidade canadense de Edmonton, em Alberta, resolveu publicar um desabafo em sua conta pessoal no Facebook para ajudar uma amiga garçonete: de acordo com a jovem, a profissional foi obrigada a trabalhar de salto alto, o que provocou a perda de uma unha, além de ter deixado seus pés sangrando, após um turno de treinamento. 

+ Klara Castanho é comparada a Paolla Oliveira em fotos no Instagram
+ Chris Hemnsworth prepara bolo especial para o aniversário da filha

De acordo com a mulher, as profissionais do sexo feminino ainda são obrigadas a comprar um vestido de 30 dólares (cerca de 100 reais), algo que não é exigido de seus colegas homens, que podem usar apenas as roupas pretas que têm no armário. Confira o desabafo: 

01

Continua após a publicidade

Abaixo, confira a tradução completa do texto publicado pela canadense:

Para todos que comem no Restaurante do Joey (especificamente o da Avenida Jasper, em Edmonton): 

A política deles ainda é que as mulheres devem usar sapatos de salto alto — a única exceção é quando há restrição médica. Os pés da minha amiga estavam sangrando e ela perdeu a unha de um de seus dedos. Mesmo depois disso, ela ainda foi repreendida pelo gerente ao sugerir a troca o salto por sapatilhas (inclusive, foi dito a ela, especificamente, que o salto alto seria requisitado no seu próximo turno, no dia seguinte).

Além disso, as funcionárias têm que comprar um uniforme/vestido por 30 dólares (cerca de 100 reais), enquanto os homens apenas usam suas próprias roupas pretas — e não precisam usar salto alto durante o serviço.

Continua após a publicidade

Requisitos sexistas e arcaicos, além de uma política completamente nojenta. Eu tenho muitos amigos que trabalham na industria de serviços e conheço muitas mulheres que ainda ganham grande gorjetas sem precisar sacrificar o seu conforto durante o expediente. Eu escolho continuar apoiando este tipo de estabelecimento.

Atualização 05/05/2016: o restaurante também tem turno de treinamento que não são pagos — o que é ilegal de acordo com as leis trabalhistas de Alberta, sendo o garçom contratado ou não“, disse a jovem.

03

O restaurante, no entanto, garante que nenhum de seus empregados é forçado a usar salto alto. Britt Innes, vice-presidente de marketing, disse ao BuzzFeed que o código de vestimenta já exigiu saltos de 2,5 cm, mas que essa regra mudou em março de 2016. Agora, todos as garçonetes são encorajadas a usar sapatilhas.

Continua após a publicidade

A mudança aconteceu após uma pesquisa com os empregados do restaurante: “O que nós aprendemos é que as mulheres queriam uma mudança nas nossas normas para os sapatos. Assim, nós mudamos as nossas orientações em março e, desde então, apenas pedimos que nossos empregados homens e mulheres usem um sapato preto com sola grossa e antiderrapante por motivos de segurança“, disse Britt.

05

A única regra do restaurante sobre saltos altos? Eles não podem tem mais de 6,5 cm, se as garçonetes decidirem usá-los. A vice-presidente também garantiu que a companhia entrou em contato com a jovem garçonete e está fazendo questão de que todos os endereços sigam as novas regras de vestimenta: “Nós deveríamos ter garantido que todos os materiais de treinamentos antigos fossem destruídos“, disse a mulher.

Dê sua opinião: E você, já enfrentou uma situação similar a da jovem garçonete? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook.

Publicidade