Clique e assine com até 89% de desconto
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Em primeira entrevista coletiva após acidente, Alan Ruschel chora e emociona a internet

Emocionado, vestindo o uniforme da Chapecoense, o lateral Alan Ruschel concedeu na manhã de sábado (17) sua primeira entrevista coletiva desde a tragédia que envolveu sua equipe de futebol. Ela falou a jornalistas na Arena Condá, em Chapecó, e o depoimento teve grande repercussão nas redes sociais. Alan deixou o hospital na tarde de sexta […]

Por VEJASP Atualizado em 25 fev 2017, 20h36 - Publicado em 17 dez 2016, 11h27

alan

Emocionado, vestindo o uniforme da Chapecoense, o lateral Alan Ruschel concedeu na manhã de sábado (17) sua primeira entrevista coletiva desde a tragédia que envolveu sua equipe de futebol. Ela falou a jornalistas na Arena Condá, em Chapecó, e o depoimento teve grande repercussão nas redes sociais. Alan deixou o hospital na tarde de sexta (16), o primeiro dos quatro sobreviventes brasileiros a ter alta, dezessete dias após o acidente aéreo que deixou 71 mortos na Colômbia.

+ Com mensagem para Silvio Santos e emoção, Jô se despede da TV

Chorando muito durante as primeiras perguntas dos jornalistas, o jogador falou sobre seu futuro: “Farei de tudo para voltar a jogar. Com muita paciência, farei de tudo para dar muita alegria para esse pessoal aqui”, disse. O depoimento durou cerca de 20 minutos.

“Tava indo pra um jogo, tu não sabe o que vai acontecer daqui a 10 minutos. O que eu levo da lição é viver a vida, aproveitar a vida e fazer o bem. O que os médicos fizeram por mim durante esses dias não tem explicação”, disse ele.

Assista:

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=NU89yxoX1Kc?feature=oembed&w=500&h=281%5D

O lateral afirmou que não lembra do acidente. “Lembro de a gente chegando em Santa Cruz de la Sierra, embarcando. Não lembro do voo. Não lembro do acidente. Lembro depois da minha esposa Marina falando comigo lá no hospital”, disse. Ainda revelou ter trocado de lugar durante o voo. “Eu estava sentando mais pra trás e o Cadu (diretor da Chapecoense que morreu no acidente) pediu pra eu sentar mais na frente pros jornalistas sentarem no fundo”. O lateral chorou novamente ao recordar que o goleiro Follmann, também sobrevivente, insistiu para que viesse se sentar ao lado dele.

A entrevista repercutiu nas redes sociais. Confira os comentários:

Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa fanpage no Facebook.

Continua após a publicidade
Publicidade