Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Mãe discute com mulher no WhatsApp e relato chama atenção

"Ele veio chorando para casa, sabia? É um absurdo você ter brinquedo em casa e não deixar nenhuma criança brincar", disse a mulher em mensagem de texto

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 18 jul 2017, 18h53 - Publicado em 18 jul 2017, 18h26

Uma história compartilhada no Twitter vem rendendo uma polêmica curiosa nas redes sociais. Até o momento, já são mais de 28 000 curtidas no post publicado na segunda (17) pela usuária @O7h13. O motivo? Em fotos, a jovem mostra a conversa que uma amiga teve com uma mulher: “Uma amiga mandou print de uma amiga da tia, que estava P*TA com ela porque ela não deixou o filho da dita cuja brincar com as action figures dela“, explicou. 

É isso mesmo: a amiga da jovem, assim como toda boa geek, tem várias figuras colecionáveis. A criança, filha de uma amiga de sua tia, entrou no quarto da mulher, viu as estátuas e achou que eram brinquedos. Como os modelos são muito delicados, a dona deles achou melhor não deixar os itens de colecionador nas mãozinhas desastradas do pequeno fã. A mãe do menino, no entanto, não gostou nada da situação — e acabou enviando uma mensagem muito irritada. Confira: 

Eu estive aí mais cedo e queria te falar uma coisa“, começa a mulher. “Por que você não deixou ele brincar com os bonecos de Os Vingadores?“, questiona.

A jovem colecionadora, com muita paciência, explica: “Olha, as peças que eu tenho são colecionáveis, não brinquedos. São extremamente frágeis e muito caras, não são feitos para brincar“, conclui.

A mulher, não satisfeita, segue discutindo com a jovem: “Ele veio chorando para casa, sabia? É um absurdo você ter brinquedo em casa e não deixar nenhuma criança brincar“, diz — ainda não entendendo que não são brinquedos, mas sim estátuas colecionáveis.

A jovem, então, perde a paciência: “Minhas coisas ficam no meu quarto, que não é área social da casa. Se ele não saísse entrando, não teria visto“, argumentou.

Mas ele é uma criança, e se ele ficar doente? Você é muito egoísta!“.

A discussão continua: “E você é folgada. Eu não tenho filho, se ficar doente ou o c*aralho a quatro não é problema não minha filha, filho é que nem peido, eu só preciso aguentar o que sai de mim!“, disse a mulher.

E outra, você vem aqui sem convite e não faz o mínimo esforço para controlar o moleque, se encostar em coisa minha e quebrar, você vai pagar outro e vai pagar a mais pelo estresse. Minha porta ficará trancada a partir de hoje. Se seu filho é mimado, que seja na sua casa, não na dos outros“, retrucou a jovem.

  • A mulher também ameaçou falar com a tia da jovem: “Eu vou falar com a sua tia, a próxima vez que eu levá-lo aí ele vai brincar SIM e, se ele quebrar, eu pago mesmo. Não vou ver meu filho chorando por causa de um adulto imbecil que tem brinquedo de criança e fica sendo egoísta“, falou.

    Tenta a sorte que voa vocês dois pela janela. Tenha uma boa tarde“, finalizou a colecionadora. No Twitter, a usuária @O7h13 fez um apelo: “Mães, se vocês querem criar filho mimado então que crie na casa de vocês. Não vem impor que terceiros mimem sua cria também, não“.  Confira: 

    O relato está dividindo opiniões nas redes sociais: a maioria dos comentários defende a jovem colecionadora, enquanto outros dizem que não custava nada ceder ao desejo da criança. Veja a repercussão: 

    Foi tanta, mas tanta polêmica — e tanta gente falando que a história era mentira, que a mãe era solteira, que a colecionadora era, na verdade, um homem e que eram brinquedos sim, não figuras colecionáveis, que a própria jovem precisou se pronunciar sobre o assunto. Nesta terça (18), Natália Freitas, a dona dos colecionáveis e autora da impactante frase “tenta a sorte que voa vocês dois pela janela” escreveu uma mensagem no Facebook.

    Eu não ia falar nada mas, para variar, a turma do lacre pegou isso, não chegou fonte e já tão problematizando e enchendo o saco. Até mataram o marido da mulher porque ela aparentemente é mãe solteira agora (e nossa falta empatia com a mãe solteira) e eu virei um homem de 30 anos“, explicou no Facebook. Confira: 

    O desabafo já recebeu mais de 2 100 reações além de 1 000 compartilhamentos. Mesmo assim, algumas pessoas ainda estão defendendo a criança no registro — e até acusaram a Natália de não gostar de criança. Confira: 

    Ah, e se você tá na dúvida sobre qual “bonequinho” a Natália proibiu o menino de brincar, é esse aqui: é um Gavião Arqueiro, produzido pela marca Iron Studios que custa mais de 300 reais — clique aqui para saber mais sobre o produto, que é para lá de bacana.

    Dê sua opinião: E você, o que achou da discussão? Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook!

    Continua após a publicidade
    Publicidade