Clique e assine por apenas 5,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Desabafo de mãe solteira que teria sido demitida por patroa que não aceita ‘esse tipo de gente’ repercute no Facebook

Uma série de registros de WhatsApp publicados no Facebook estão causando polêmica na rede social por revelar um suposto caso de preconceito. Publicados pela fanpage Diário de uma Mãe Solteira na sexta (24), prints de uma conversa denunciam uma patroa que teria dispensado uma faxineira porque a prestadora de serviço tem filhos e não é casada. De acordo […]

Por VEJA SP - Atualizado em 26 fev 2017, 11h21 - Publicado em 28 jun 2016, 19h31
mae-1

Uma série de registros de WhatsApp publicados no Facebook estão causando polêmica na rede social por revelar um suposto caso de preconceito. Publicados pela fanpage Diário de uma Mãe Solteira na sexta (24), prints de uma conversa denunciam uma patroa que teria dispensado uma faxineira porque a prestadora de serviço tem filhos e não é casada. De acordo com a empregadora, não seria possível “aceitar esse tipo de gente” na casa dela.

+ Ninguém entendeu a ‘aula’ de Patrícia Abravanel no Programa Sílvio Santos
+ Foto com Tatá Werneck provoca polêmica por brincadeira com religião

Entre as justificativas contidas no diálogo, a patroa chega a incluir os filhos, que poderiam “aprender algo errado”, e o marido, porque não queria “esse tipo de gente” perto dele. Apesar do pedido – até desesperado – da faxineira, a decisão de demiti-la não se altera e a empregadora afirma que o dinheiro devido poderá ser retirado com o porteiro do prédio. Confira a conversa no topo do post e abaixo:

– Olá, Cleide. Boa noite! Eu estava olhando o seu Facebook e percebi que você tem filhos.

– Boa noite, dona Simone. Tenho sim. Três filhos.

– Você é casada ou é mãe solteira?

– Sou solteira.

– Então me desculpe, mas vou ter que cancelar a faxina de amanhã.

Continua após a publicidade

– Mas por que, dona Simone? Fiz alguma coisa errado?

– Não posso ter esse tipo de gente na minha casa, perto do meu marido. Meus filhos podem aprender algo errado, seria uma falta de respeito com meu marido. Não posso ter esse tipo de gente aqui.

– Mas dona Simone, sou trabalhadora, sempre fiz meu serviço certo nas outras casas. Sou uma mulher de respeito.

– Realmente não estou criticando seu trabalho. Você é muito caprichosa, mas não posso aceitar esse tipo de gente em minha casa.

– Não faz isso, tenho filhos pra sustentar. Sempre fui muito honesta.

– Pessoas como você encontram emprego fácil por questão de necessidade. Segunda-feira você pode vir acertar suas contas. Deixarei o dinheiro com o porteiro.

Até o momento, o post foi compartilhado mais de 5 000 vezes e ultrapassou a marca de 1,2 mil comentários, a maioria de indignação.

(com Estadão Conteúdo)

Deixe seu comentário e aproveite para curtir nossa página no Facebook.

Continua após a publicidade
Publicidade