Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Armie Hammer perde contrato com agência após denúncias de violência

Hammer é acusado de canibalismo por mulheres que se relacionaram com ele; assessor pessoal do ator também se afastou

Por Redação VEJA São Paulo 6 fev 2021, 17h45

Ator em sucessos como O Cavaleiro Solitário (2013) e Me Chame Pelo Seu Nome (2017), Armie Hammer, 34, tem sofrido duros golpes após denúncias de relacionamentos abusivos, que incluem violência psicológica, física e até mesmo canibalismo, virem à tona. As informações são da Folha de S.Paulo.

O caso mais recente envolve a dispensa da agência de talentos WME, que o representava em Hollywood. O desligamento ocorre dias depois de o ator deixar o elenco da série da Paramount +, The Offer, drama sobre o clássico O Poderoso Chefão.

Antes disso, ele foi substituído por Josh Duhamel na comédia romântica Shotgun Wedding, na qual contracenaria com Jennifer Lopez.

De acordo com o The Hollywood Reporter, “a perda da agência é o mais recente acontecimento de uma carreira em queda livre e surge em meio à controvérsias sobre mensagens gráficas que Hammer teria enviado a várias mulheres nas redes sociais”. Fontes disseram à publicação que o assessor pessoal do ator também se afastou.

A sequência de negativas a Hammer veio após a revelação de mensagens perturbadoras — ainda não verificadas — que foram postadas em uma conta do Instagram administrada por uma mulher que afirma ter se relacionado com o artista. O conteúdo contém descrições gráficas de fantasias sexuais que incluem abuso e até canibalismo.

Desde então, várias outras mulheres disseram que experimentaram trocas semelhantes com ele, que nega as acusações.

Em janeiro, Paige Lorenze, 22, veio a público para dar mais detalhes de seu relacionamento com Hammer, a quem acusa de tê-la marcado na virilha com a letra A, com uma faca, durante um jogo sexual. A modelo descreveu o relacionamento com o ator como “profundamente traumático” e conta que ele “pode ferir outra mulher gravemente”. De acordo com ela, o ator frequentemente a amarrava, batia nela com remos e planejava “noites de alto protocolo” de movimentos sexuais dolorosos, que muitas vezes a deixavam coberta de hematomas. Em entrevista concedida ao Daily Mail, Lorenze conta que na primeira noite em que teve relações sexuais com o ator ele pediu que ela o chamasse de “papai” ou “senhor”.

Continua após a publicidade
Publicidade