Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Poder SP Por Sérgio Quintella Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015

Justiça inocenta vereador que comparou João Doria a Hitler

Camilo Cristófaro (PSB) havia sido condenado a pagar indenização de 50 000 reais

Por Sérgio Quintella Atualizado em 15 fev 2020, 14h36 - Publicado em 15 fev 2020, 14h35

Por três votos a zero, os desembargadores da 5ª Câmara de Direito Privado, do Tribunal de Justiça de São Paulo, declararam improcedente o pedido de reparação financeira feito pelo governador João Doria (PSDB) contra o vereador Camilo Cristófaro (PSB).

Durante a campanha eleitoral de 2018, quando o tucano rivalizou com o então governador Márcio França, do mesmo de partido de Cristófaro, o parlamentar paulistano compartilhou um vídeo em que Doria era retratado como Adolf Hitler.

Na última quarta-feira (12), os magistrados do TJ derrubaram a decisão de primeira instância que obrigava Camilo a pagar 50 000 reais de indenização por danos morais. Segundo o acórdão, o filme “não causou danos à honra e à imagem” do atual governador nem lhe acarretou prejuízos eleitorais, já que venceu as eleições”.

Para os magistrados, “embora de gosto duvidoso”, a gravação não liga a imagem de João Doria à figura do ditador alemão, mas representa uma sátira à campanha eleitoral, fazendo críticas bem-humoradas a respeito do que, na opinião de Cristófaro, reflete a posição do eleitorado.

Continua após a publicidade
Publicidade