Clique e assine por apenas 6,90/mês
Poder SP Por Sérgio Quintella Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015

Empresário que matou ex-mulher no Paraíso vai a júri popular

Em 2016, Hugo Gabrich atirou em Edna Amaralina, de 28 anos, e no namorado dela

Por Sérgio Quintella - 18 Apr 2019, 12h09

A juíza Renata Mahalem Da Silva Teles, do Fórum Central Criminal de São Paulo, determinou que o empresário Hugo Alexandre Gabrich, de 52 anos, vá a júri popular por matar a ex-esposa, Edna Amaralina da Silveira, de 28, e por atirar no namorado na jovem, Daniel Sobral. O rapaz ficou paraplégico e mantém a esperança de voltar a andar.

O crime, ocorrido em 12 de novembro de 2016, na Rua Cubatão, no Paraíso, Zona Sul, ganhou repercussão nacional. A magistrada determinou que o réu seja julgado por homicídio triplamente qualificado (com o agravante de haver feminicídio), tentativa de homicídio e cárcere privado. Se condenado, Gabrich poderá ficar mais de trinta anos na cadeia.

Nos últimos dois anos e meio, foram ouvidas diversas testemunhas, que confirmaram haver por parte do ex-marido um sentimento possessivo. Depois que Edna pediu a separação, as agressões verbais aumentaram até que os crimes fossem consumados.

Em depoimento à Justiça durante o curso do processo, o réu disse que sofre de depressão em estágio avançado e que, mesmo na prisão, ingere medicamentos para atenuar a doença. “Não era eu”, chegou a dizer ao se referir sobre a época em que cometeu os crimes. Disse também que tentou se matar antes e depois do ocorrido.

Continua após a publicidade

A data do julgamento ainda não foi marcada.

Chello/Estadão Conteúdo/Veja SP

 

Publicidade