Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Notas Etílicas Por Saulo Yassuda Dicas, novidades e observações do mundo dos bares e das bebidas

Oito vinhos para tomar na praia

Descubra bons rótulos que são a cara do verão

Por Saulo Yassuda Atualizado em 24 jan 2020, 14h38 - Publicado em 24 jan 2020, 06h00

Por que não tomar vinho em frente ao mar? Para deixar o programa praiano ainda mais gostoso, selecionamos opções frescas, de boa acidez, e leves, pouco encorpadas. O especialista Marcelo Copello, responsável pelo blog Vinho e Algo Mais, no site da Vejinha, e o sommelier Gabriel Raele ajudam na missão. “É bom que a bebida possa ser servida gelada ou até com gelo”, diz Copello. “Notas cítricas e de frutas frescas combinam com a estação”, complementa Raele. E não pense que são só brancos ou rosés. Há tintos na lista. Prepare seu cooler, embale as taças e vamos para a praia.

Moscatel Frisante Rosé > Da Almadén, é uma novidade da marca  do Grupo Miolo. Tem pouco álcool. “Descontração líquida. Só 7% de álcool, meio doce e com algum gás. Experimente com gelo”, indica Copello. Pelo site da Miolo (miolo.com.br), custa R$ 27,51, sem contar o frete.

Litoral 2018 > Do Vale do Leyda, no Chile, o vinho da vinícola Ventolera é feito com sauvignon blanc. “Branco leve, seco, fresco e muito cítrico”, comenta Raele. “Bom para abrir o apetite ou acompanhar um espeto de camarão na brasa.” Sai por R$ 98,90 na Bacco’s (Rua Sergipe, 568, Higienópolis, tel. 3660-8100).

RK Riesling 2018 > Da região alemã do Mosel, é produzido pela Reichsgraf von Kesselstatt. “Apenas 10,5% de álcool, um toque de doçura e excelente acidez tornam este riesling ótimo para  a areia”, opina Copello. Custa R$ 159,00 na Vindame (Rua Pascoal Pais, 50, Campo Belo, tel. 2384-6946).

Continua após a publicidade

Aphros Daphne 2015 > Opção de vinho verde, da região do Minho, em Portugal, o vinho da marca Vasco Croft, é elaborado apenas com a uva loureiro. “Frituras típicas de praia, como peixes e frutos do mar, vão bem com ele”, acredita Raele. É trazido pela Wine Lovers (winelovers.com.br)
e custa R$ 189,00.

Le Rosé de Floridene > Com 65% de uvas  merlot e 35% de cabernet sauvignon, é elaborado pela Denis Dubourdieu Domaines. “Na praia, mas sem abrir mão de seu bordeaux, esta é uma compra garantida. Bom produtor”, diz Copello. Custa R$ 96,90 na Casa Flora (Rua Santa Rosa, 207, Brás, tel. 2842-5199).

La Petite Annie  Rosé 2018 > Da Collégiale des Domaines de Loire, é feito a partir  da cepa cabernet franc. Para Raele, “tem uma pequena presença de doçura no fim do gole e notas de cereja azedinha, acerola, carambola fresca e pitanga”. Pelo site Vino Mundi (vinomundi.com.br), custa R$ 69,90.

Beaujolais Nouveau 2019 > Da Georges Duboeuf,  é importado pela Interfood. “O beaujolais nouveau é o maior ícone entre os tintos jovens e frescos”, diz Copello.  É vendido pelo site TodoVino (todovino.com.br) por R$ 149,90. “Georges Duboeuf, seu melhor produtor, faleceu neste mês.

La Part du Colibri Côt 2018 > Outra opção do Loire, do Domaine Vincent Caillé, é um malbec com 12% de teor alcoólico. “É intenso de acidez, muito aromático e com poucos taninos”, descreve Raele. Custa R$ 98,00 na De la Croix (Alameda Lorena, 678, casa 1, Jardim Paulista, tel. 3034-6214).

Continua após a publicidade

Publicidade