Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Notas Etílicas Por Saulo Yassuda Dicas, novidades e observações do mundo dos bares e das bebidas

Gino Wine Bar reforça a oferta de lugares para beber vinho em taça

A casa, fundada por um italiano, abre as garrafas para quem prefere experimentar diferentes variedades na mesma noite

Por Saulo Yassuda Atualizado em 5 set 2019, 17h38 - Publicado em 28 ago 2019, 16h23

O mercado dos bares de vinho continua quente. O mais novo representante da categoria já tem nome — Gino Wine Bar –, endereço — Rua Cônego Eugênio Leite, 1164, Pinheiros — e data para a abertura — esta quarta (28), a partir das 18h.

O proprietário é Gianluca Zucco, romano que vive há 30 anos no Brasil. Egresso do setor da tecnologia da informação, ele retornou à Itália natal em 2010, onde viveu até 2013, para estudar sommellerie na AIS (sigla para Associação Italiana de Sommeliers), em Roma.

De volta a São Paulo, fez consultorias e trabalhou para vinícolas italianas que vinham ao mercado brasileiros.

O salão do wine bar: em um pedaço tranquilo de Pinheiros Maria Cláudia Paroni/Divulgação

O caminho da taça era sem volta. E deu no que deu: o Gino Wine Bar, que ocupa um pequeno imóvel em Pinheiros, no mesmo quarteirão do Boca de Ouro, perto do Cemitério São Paulo. Compõe o ambiente um balcão amparado de banquetas e algumas mesas.

Há cerca de 20 rótulos disponíveis, com ênfase em vinhos italianos, franceses e sul-americanos, todos servidos em taça e em rotatividade semanal. Com o tempo, a ideia é dobrar o número de variedades.

Rótulos disponíveis inscritos na lousa: seleção semanal Maria Cláudia Paroni/Divulgação

“Vou trabalhar com um leque de doze importadoras de médio para pequeno porte”, promete o dono. “Produtos de grandes importadores você tem em qualquer restaurante. Quero ter um negócio diferenciado.”

Continua após a publicidade

Entre as sugestões, dá para bebericar nesses primeiros dias de abertura o branco Verdicchio Castelli Di Jessi Doc Classico Le Vaglie (32 reais), da vinícola Barbara, da região italiana de Marche, e o tinto Escala Humana Wines Livverà (34 reais a taça), feito com cabernet sauvignon no Vale do Uco, em Mendoza. Há sugestões mais baratas, como o gaúcho Guatambu Rastros do Pampa Tannat (19 reais).

O balcão: para beber vinhos de pequenas importadoras Maria Cláudia Paroni/Divulgação

Para mastigar, serão servidas porções frias, como embutidos e queijos nacionais ao lado de pães artesanais. Também haverá, em breve, conservas de frutos do mar defumados da A.MAR, de Ilhabela (SP).

Logo, logo, vou conferir essa abertura.

Gino Wine Bar
Rua Cônego Eugênio Leite, 1164, Pinheiros. Sem telefone.
Terça a sexta, das 18h às 22h. Sábado, das 15h30 às 21h. Fecha domingo e segunda (horários de soft opening)

Nota publicada na edição de nº 2651:

O Gino Wine Bar funciona em soft opening desde o dia 28. Serve vinte rótulos (a lista deve crescer), todos em taça — italianos e sul-americanos em sua maioria. “Priorizamos importadoras de médio e pequeno porte”, afirma o dono, o romano Gianlucca Zucco, que trabalha com diferentes importadoras, inclusive com vinhos naturais entre as ofertas. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade