Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Notas Etílicas Por Saulo Yassuda Dicas, novidades e observações do mundo dos bares e das bebidas

Decanter: você precisa (ou não) desse acessório de vinho?

Entenda mais sobre as funções do objeto e conheça diferentes formatos

Por Saulo Yassuda Atualizado em 28 ago 2020, 12h59 - Publicado em 28 ago 2020, 06h00

O decanter (ou decantador) não é só um objeto bonito no meio das quinquilharias da adega (embora, para alguns, ele o seja). Despejar o vinho nesse frasco de vidro ou de cristal tem seu porquê: separar o líquido dos resíduos sólidos que naturalmente se formam na garrafa. Isso ocorre, principalmente, com vinhos antigos e bacanudos — como Portos vintage, barolos, bordeaux —, mas também com tintos jovens sem filtração.

“Tenho desde clientes que gostam do resíduo até os que acham que o vinho está estragado por ter borra”, conta a sommelière Gabriela Bigarelli, responsável por cartas de endereços como o Maní, no Jardim Paulistano.

Para realizar a decantação, é necessário deixar antes a garrafa em pé por algumas horas — ou dias —, com a intenção de os sedimentos correrem para o fundo. Só então derrama-se o conteúdo, sem interrupção, no utensílio — muitos usam uma fonte luminosa embaixo da garrafa para ver quando as partículas vão começar a sair pelo gargalo e, nesse instante, parar de verter o líquido. No restaurante Fasano, o sommelier Manoel Beato não raro usa uma vela no processo.

Gabriela Bigarelli: para decantar ou arejar Acervo pessoal/Veja SP

Se você não for tão vintage assim, pode ir de lâmpada de mesa ou um led, como preferir. E lembre-se: todo cuidado é pouco com os vinhos envelhecidos, com mais de uma década de vida — despeje a bebida beeem lentamente no decanter. “Alguns são tão frágeis que podem suportar oxigênio por apenas alguns minutos antes de sucumbir à oxidação”, alerta a inglesa Jancis Robinson em The Oxford Companion to Wine.

Outra função do recipiente é a de arejar a bebida, permitir que ela tenha mais contato com o oxigênio e, assim, libere seus aromas com mais rapidez (alguns especialistas, porém, defendem que o ganho de oxigênio na taça já é suficiente).

Beneficiam-se dessa tomada de ar no decanter sobretudo os líquidos jovens, mais “fechados”. “Tintos com até dois anos precisam de dez a vinte minutos de respiro. É bom sempre ir provando”, recomenda Gabriela.

Continua após a publicidade

Confira três exemplares de decanter

Divulgação/Divulgação
  1. De cristal, é uma versão da austríaca Riedel, uma das mais renomadas do segmento (R$ 299,00). Compre em: Americanas.
  2. Em forma de pato, esta opção de cristal com alça facilita o serviço. Da alemã Wolff (R$284,35). Compre em:  Amazon.
  3. O decanter de vidro da Bohemia tem base larga, o que propicia aeração mais rápida (R$ 99,00). Compre em: Americanas.

Valeu pela visita! Tem alguma novidade para me enviar? Meu e-mail é saulo.yassuda@abril.com.br

Também estou no Instagram: @sauloyassuda

E, olha só, voltei ao Twitter: @sauloy

Assine a Vejinha a partir de 6,90 mensais

 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade