Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Notas Etílicas Por Saulo Yassuda Dicas, novidades e observações do mundo dos bares e das bebidas

Novos e bons bares em Pinheiros e na Vila Madalena

Listo abaixo seis endereços da Zona Oeste que testei e aprovei

Por Saulo Yassuda Atualizado em 16 fev 2018, 19h18 - Publicado em 16 fev 2018, 18h59

Os bairros vizinhos Pinheiros e Vila Madalena, na Zona Oeste de São Paulo, estão no rol de regiões mais boêmias da capital. Não param de abrir novas casas para ir beber e petiscar por ali.

Listo abaixo seis bares novos, para diferentes gostos, que testei — e aprovei — nos últimos meses.

Para mais detalhes sobre os endereços, basta clicar no nome de cada estabelecimento

Drinque velho fashion: boa pedida do Benzina Clayton Vieira/Veja SP

Para beber drinques no agito
O Benzina pertence aos donos da rede de lanchonetes Bullguer e fica em um casarão de esquina na Vila Madalena. Como a galera pede os drinques no sistema de comanda pré-paga, dá pra entrar e sair do bar à vontade. A equipe do bartender Gabriel Santana faz boas misturas, como a velho fashion (cachaça envelhecida, xarope de mel e bitters), por 18 reais.

Coquetéis bem brasileiros
Bebidas nacionais como Paratudo, Cataia e Netuno são as matérias-primas dos coquetéis do Estepe, botecão concorrido perto do Largo da Batata. Com esses líquidos, preparam-se drinques de respeito a preços que não assustam (18 reais cada um). A Cataia, pinga aromatizada com a folha de mesmo nome, forma uma boa mistura com limão, mel e gengibre.

Continua após a publicidade
Fachada do Estepe: boteco próximo ao Largo da Batata Clayton Vieira/Veja SP

Gim na Rua dos Pinheiros
O Carlton Bar é um endereço dedicado à coquetelaria. Os drinques clássicos com gim ocupam boa parte do cardápio. Vale aparecer para tomar um dry martíni (27,90 reais) ou um gim-tônica, entre eles o na versão tanger (24,90 reais), com geleia de tangerina e casca da fruta. O endereço é tocado pelos mesmos sócios do Boteco Paramount (fechado temporariamente) e Majestic.

Para relaxar ao ar livre
Bar do Beco, que fica pertinho do Beco do Batman, dispõe da maioria das mesas num agradável quintal. Para acompanhar drinques como o graffiti (gim, gengibre, limão-siciliano, especiarias e bitter; 28 reais), há sandubas de todo o mundo. Argentino, o choripán (24 reais) leva linguiça, molho chimichurri e picles de cebola-roxa no pão.

Bolinho de couve-flor do Buena Onda: opção sem carne Clayton Vieira/Veja SP

Petiscos vegetarianos (e outros carnívoros) em ambiente tropical
O Buena Onda está cheio de bananeiras e vasos de abacaxi na decoração e tem clima de festinha caseira. A galera beberica cerveja (12 reais a Heineken de 600 mililitros) e coquetéis. Peça o bolinho de couve-flor e parmesão (25 reais, meia dúzia) para petiscar. O cardápio tem tira-gostos levinhos — muitos deles vegetarianos — e outros botequeiros.

Croquetes de batata: petisco do Toki Ligia Skowronski/Veja SP

Se você curte petiscos japoneses
O Toki abriga um balcão enorme e recortado, além de poucas mesas. É um bom lugar para provar pedidas japas, caso da versão sem carne do korokke, croquete de purê de batata com toque de curry empanado em farinha crocante (19 reais, quatro unidades).

  • Tem alguma dica etílica? Comente abaixo ou mande uma mensagem saulo.yassuda@gmail.com). Siga as novidades do blog no Instagram (@sauloy).

    Continua após a publicidade
    Publicidade