Clique e assine por apenas 5,90/mês
Notas Etílicas Por Saulo Yassuda Dicas, novidades e observações do mundo dos bares e das bebidas

Bar do Komah tem petiscos do chef Paulo Shin; leia a crítica

Novo espaço divide endereço com o restaurante Komah, comandado pelo mesmo cozinheiro

Por Saulo Yassuda - Atualizado em 24 jan 2020, 14h38 - Publicado em 24 jan 2020, 06h00

Desde dezembro, ao chegar ao número 380 da Rua Cônego Vicente Miguel Marino, na Barra Funda, o cliente se vê obrigado a respirar fundo e tomar uma decisão. Um minuto de dúvida é inevitável. Para provar pratos coreanos de pegada moderna, ele deve entrar na porta à direita. Esse é o restaurante Komah. Se a ideia for abocanhar deliciosos aperitivos também com um pé no Oriente na companhia de coquetéis, a opção é seguir pela esquerda, em direção ao recém-aberto Bar do Komah.

Kimbap com recheio de carne: lembra um sushi Lígia Skowronski/Veja SP

Ainda que tenham entradas diferentes, os dois estabelecimentos pertencem aos mesmos sócios e dividem, além do imóvel, a cozinha e o bar — os bartenders atendem dos dois lados do balcão. Mas a regra é clara: quem está em uma das duas bancadas do pequeno bar só pode pedir o cardápio desse espaço; o mesmo vale para quem se senta no restaurante. Paulo Shin, premiado como o chef do ano pelo COMER & BEBER em 2018, criou para o novato petiscos de alto nível e a preços razoáveis.

Tteokbokki: massa de arroz com molho picante Lígia Skowronski/Veja SP

Não deixe de pedir o ótimo nokdu bindaetteok (R$ 20,00). Traduzindo: panquequinha de brotos de feijão e de samambaia mais kimchi, a acelga fermentada e apimentada, que adquire uma deliciosa crostinha na frigideira. Cortada em aperitivo, é coberta de cebolinha ao molho de toque ácido.

Nokdu bindaetteok: panquequinha de brotos de feijão e de samambaia mais kimchi Lígia Skowronski/Veja SP

Com visual que lembra um sushi, o kimbap (R$ 20,00, cinco unidades) vem na forma de arroz enrolado em alga nori com bulgogi (churrasco coreano), pepino, cenoura, verdura horenso, folha de gergelim e nabo em conserva. O tteokbokki (R$ 25,00), massinha de arroz prensada num formato que lembra um nhoque alongado, surge mergulhado em molho vermelho picante de pasta de pimenta fermentada gochujang, cenoura, massa de peixe, cebolinha, ovo cozido e cebola crocante.

Drinque bss: leva o destilado coreano soju infusionado com chá-verde, licor de mirtilo, vermute e bitter de erva-doce Lígia Skowronski/Veja SP

O responsável pelos coquetéis é Marcos Vinicius Apolinário, o Vina. Se na carta do restaurante, onde está desde 2018, ele investe em sabores coreanos, no bar não existe essa obrigação.

Continua após a publicidade
Pirangi, drinque de gim, vermute branco, caju, suco de limão e manjericão – Bar do Komah Lígia Skowronski/Veja SP

Sua nova lista inclui bons drinques, como o curva (rum, vinhos do Porto branco e manzanilla e bitter da casa; R$ 39,00), de toque seco e apresentado na taça de vinho com gelo. Com sabor de vermute evidente, mas sem ofuscar os outros ingredientes, o bss (R$ 29,00) leva o destilado coreano soju infusionado com chá-verde, licor de mirtilo e bitter de erva-doce.

Baro do Komah.
Rua Cônego Vicente Miguel Marino, 380, Barra Funda, tel. 3392-7072
Segunda a quarta das 18h30 à 0h, quinta e sexta até 1h, sábados das 17h à 1h; fecha aos domingos

Clique aqui para saber todas as informações.

Avaliação: ÓTIMO (quatro estrelas)

Quer mais dicas? Siga minhas novidades no Instagram @sauloy.

 

Continua após a publicidade
Publicidade