Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Na Plateia Tudo sobre teatro

Espetáculo on-line traz 8 peças inspiradas em relatos pessoais dos atores

Dirigidas por Nelson Baskerville, as tramas têm temas variados, desde racismo até relacionamento abusivo

Por Saulo Yassuda Atualizado em 10 jun 2021, 22h26 - Publicado em 11 jun 2021, 06h00

Memórias, por vezes doloridas, são os insumos de (das) tripas (coração) — solos em confinamento. Nelson Baskerville dirige o espetáculo on-line, que une oito pequenas peças escritas pelos atores e transmitidas ao vivo. Os textos funcionam como crônicas que rememoram episódios pessoais. Em Barba Azul, Lígia Fonseca interpreta uma apresentadora de um programa de culinária. Por meio de ingredientes e instruções, narra o conto sobre o nobre violento e faz uma metáfora com um relacionamento abusivo.

Mulher negra grita em foto segurando um secador de cabelo em movimento
Pri: angústias em cena Pri Calazans/Divulgação

Pri Calazans, em Eu Sou Negra?, trata do racismo, com o resgate da avó paterna. A infância de Tamara Maria Cardoso ganha uma leitura em Cortei o Dedo, em que angústias da menina regem o enredo. Carolina Borelli, Estrela Straus, Julia Ianina, Maria Eduarda Pecego e Ricardo Nash também têm seus solos que tratam de cicatrizes (120min).

Mulher olha pra câmera enquanto segura uma escova. Está em um quarto com fotos penduradas na parede
Tamara: na peça Cortei o Dedo Tamara Cardoso/Divulgação

16 anos. Sympla (sympla.com.br). Sex. (11) e sáb. (12), 20h. Dom. (13), 19h. R$ 20,00.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 16 de junho de 2021, edição nº 2742

  • Continua após a publicidade
    Publicidade