Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês
Randômicas Por Juliene Moretti Tudo sobre música, clipes, entrevistas e novidades dos shows.

Homenagens a Marielle marcam primeiro dia do Lollapalooza 2018

Rincon Sapiência e Zara Larsson fizeram referências à vereadora. Red Hot Chili Peppers foi atração mais concorrida

Por Juliene Moretti Atualizado em 24 mar 2018, 13h00 - Publicado em 24 mar 2018, 10h09

Colaboraram: Ana Luiza Cardoso e Leo Martins

Em sua maior edição, o festival Lollapalooza deu a partida na maratona de shows nesta sexta (23). Ao todo, 24 atrações subiram nos quatro palcos no Autódromo de Interlagos. Entre os destaques, o rapper paulistano Rincon Sapiência, e o americano Chance The Rapper, a cantora pop Zara Larsson, Red Hot Chili Peppers e Alok, que, por causa de alguns minutos de atraso, encerrou este primeiro dia.

Além dos três dias de duração, houve também mudança no mapa do festival. O palco Axe foi parar em outra ponta da estrutura do local, onde nos anos anteriores ficavam uma série de banheiros e um bar com pouco movimento, já que ninguém chegava até lá. Próximo ao Onix, desta vez, não ocorrem shows simultâneos, para não haver interferência de som.

A mudança foi boa para os fãs de música eletrônica. O Perry’s by Doritos passou para o lugar antigo do Axe, garantindo mais espaço para a plateia. Em anos anteriores, por causa da estrutura e localização deste palco, não era possível chegar até ele.

O rapper paulistano foi o primeiro a chamar atenção da plateia que passava pelo palco principal. Visivelmente feliz e cheio de malemolência, Rincon conquistou um bom público para o horário (por volta das 14h30) com versos cativantes e dançantes como em A Coisa Tá Preta e Ponta de Lança. Ele também convocou a cantora Iza, do sucesso Pesadão. Juntos, cantaram Ginga, single lançado pela dupla há dois dias. O show também foi marcado por homenagens à vereadora Marielle Franco, assassinada há quase duas semanas. Por duas vezes, além de ter imagem da moça exibida no telão, Rincon gritava seu nome e a plateia respondia “Presente”.

 

 

Em uma pegada mais leve, a cantora paulistana Mallu Magalhães se apresentou no palco Axe, no mesmo horário de Rincon. Ela cantou músicas como Sambinha Bom, Velha e Louca e Cena de seu álbum Pitanga, e Mais Ninguém, da Banda do Bar, que embalaram a plateia. Mais morno foi o show do Spoon. Apesar dos sucessos no setlist, eram poucos os interessados em acompanhar o grupo texano, que se apresentou no palco principal. Já o clima foi diferente com Royal Blood. De hard rock, o duo mostrou peso no show, empolgando a plateia espalhada pelo gramado.

Continua após a publicidade

 

As faixas de Chance The Rapper também mostraram seu peso. Com pouco mais de dez minutos de atraso, o rapper de Chicago tinha a plateia cheia, com braços para o alto, quase em tom de missa gospel (tema da maioria de suas músicas). Blessings e Angels, do disco mais recente, Coloring Book, chamaram atenção por isso. Com imagens que remetiam a céu, vozes poderosas das backing vocals e os metais, soavam confortantes no show.

No mesmo momento, no Palco Axe, a cantora sueca de 20 anos Zara Larsson agitou um público mais jovem com o seu pop dançante e dedicou a música a Symphony à vereadora Marielle Franco. “Ela lutava contra a violência policial e por justiça social, então eu quero dedicar essa música a ela”, disse.

Com a área do palco principal já lotado, o quarteto Red Hot Chili Peppers fez uma performance com falhas, mas potente, que deve ter agradado aos fãs dos discos mais antigos da banda. Diferente do que vinha fazendo na turnê de Get Away, mais recente trabalho, o grupo cantou faixas como Blood Sugar Sex Magik, Aeroplane e Under The Bridge, um dos maiores hits do grupo. Também houve coro para Otherside, Californication e By The Way. Momento estranho, mas logo elucidado: Josh Klinghofer, o guitarrista, assumiu à frente e sozinho, começou a cantar Menina Mulher da Pele Preta, de Jorge Ben Jor. Valeu pela tentativa. O show encerrou bem em clima festeiro com Give It Away.

Iniciado com a narração de sua história contado por si próprio, o DJ goiano Alok parecia usar todos os recursos possíveis para impressionar como show pirotécnico, chuva de serpentina, fogos de artifício, no Perry’s by Doritos. Fez a festa de quem queria alimentar as redes sociais com imagens de efeito e também agitou uma multidão, que pulava ao som de músicas como Hear me Now.

Neste sábado (24), o festival terá seus portões abertos a partir das 11h. Pearl Jam, Imagine Dragons, David Byrne, The National, Mano Brown, entre outros. Os ingressos estão esgotados.

Continua após a publicidade

Publicidade