Clique e assine por apenas 5,90/mês
Blog do Miguel Por Miguel Barbieri Jr. Fique por dentro das melhores dicas de filmes e séries.

Os restaurantes e bares que são cenário em “O Crush Perfeito”

Reality da Netflix traz à cena seis protagonistas (um a cada episódio) à procura de uma possível cara-metade, em encontros às escuras

Por Miguel Barbieri - Atualizado em 7 ago 2020, 10h40 - Publicado em 7 ago 2020, 06h00

Atração do catálogo da Netflix desde 10 de julho, O Crush Perfeito é uma versão fiel (e até superior) do americano Dating Around. A adaptação do programa, produzido pela Endemol Shine Brasil, se passa em São Paulo e, além de locações icônicas da capital paulista, a produção usou espaços de bares e restaurantes da cidade. Dirigido por Cassia Dian, o reality traz à cena seis protagonistas (um a cada episódio), à procura de uma possível cara-metade, em encontros às escuras. Eles ou elas, héteros ou gays, recebem cinco pretendentes e, dependendo do andamento da paquera, podem dispensá-los após o jantar. Caso contrário, a noitada é estendida. “Precisamos seguir à risca o original, mas fizemos algumas modificações, por exemplo, usar câmeras mais afastadas dos casais nas ruas para deixar a afetividade fluir”, diz Cassia. Um dos desafios da realização foi “maquiar” casas como o restaurante Jacarandá e o bar Cabíria de acordo com a personalidade dos participantes. Confira ao lado as mudanças visuais feitas em cada um dos locais, tendo as fotos do programa (acima) e as de ensaios com o pessoal da equipe.

Divulgação/Divulgação

> Axado (Rua Deputado Lacerda Franco, 478). Dá até para ver ao fundo a rua do bar em Pinheiros, conhecido por seus elaborados coquetéis, que serviu de restaurante para Jota levar suas pretendentes, como a descolada Monique (foto), no episódio 4. Em outra área do Axado, Elena, do episódio 1, recebeu seus crushes para tomar o primeiro drinque.

Divulgação/Divulgação

> Raiz (Rua Alves Guimarães, 153). Localizado no porão do restaurante Jacarandá, debaixo do salão onde se encontra a centenária árvore homônima, o bar de música ao vivo aparece no episódio 6, nos encontros de Paulo com suas paqueras, como Lais (foto). O mesmo espaço também surge no episódio 3, onde Joelma tem suas saideiras.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Divulgação/Divulgação

> Caulí (Rua Joaquim Antunes, 248). Como é um bar despojado, característica do protagonista Dieter (episódio 2), houve poucas trocas no ambiente, onde foi preservado, por exemplo, o sofá de veludo azul, ao fundo do restaurante. O que mudou bastante foi a iluminação, puxada para os tons de rosa e azul, para o encontro de Guilherme com Dieter (foto).

Continua após a publicidade
Divulgação/Divulgação

> Cabíria (Rua Cônego Eugênio Leite, 1028). Repare que a janela de fundo continua lá e, só com efeito de luz, o bar ganhou outra cara para o date após o jantar de Raissa e Xauana (foto). Com clima mais de bar que de balada, o endereço de Pinheiros tem carta de drinques variados, mas seu forte são clássicos como o old fashioned.

Divulgação/Divulgação

> Jacarandá (Rua Alves Guimarães, 153). Como há um espaço muito amplo, áreas distintas foram usadas em mais de um episódio. A luz azul fez toda diferença no ambiente para Joelma (episódio 3) jantar confortavelmente com seus candidatos, como o psicólogo João (foto). Num cardápio mais enxuto, as refeições são do próprio restaurante.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Divulgação/Divulgação

> Terraza (Rua Francisco Tramontano, 101). O rooftop, que tem vista do skyline de São Paulo na região do Morumbi, é uma das locações mais fotogênicas do reality. Foi lá que Jota (episódio 4) levou as garotas para um último drinque antes da despedida. Para dar um toque mais intimista, a produção providenciou lampadinhas para compor uma luminária.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 12 de agosto de 2020, edição nº 2699. 

Continua após a publicidade
Publicidade