Clique e assine por apenas 6,90/mês
Blog do Miguel Por Miguel Barbieri Jr. Fique por dentro das melhores dicas de filmes e séries.

Filmes grátis no festival de documentários musicais e na mostra chinesa

Nada Pode Parar os Autoramas é atração do In-Edit e O Clã das Adagas Voadoras é destaque na Mostra Cinema e Reflexão, no Looke

Por Miguel Barbieri - 10 set 2020, 10h28

Mais dois eventos digitais de cinema estão em cartaz com muitos filmes inéditos e/ou reprises maravilhosas.

A Mostra Cinema e Reflexão está disponibilizando onze filmes chineses para ser vistos de graça no Looke (looke.com.br), até 30 de outubro. Já estão lá quatro belos trabalhos de Zhang Yimou: A História de Qiu Ju, Nenhum a Menos, Herói e O Clã das Adagas Voadoras. Como a seleção foi feita com títulos realizados entre 1937 e 2006, haverá, a partir de sexta (10), Encruzilhada, da década de 30, As Lágrimas de Yang Tze (1947), Terra Amarela (1984) e A Dor do Amante Sobre o Rio Amarelo (1999).

A partir de quinta (17), entram na plataforma os três últimos longas-metragens: O Carteiro das Montanhas (1999), As Pedras Sagradas Silenciosas (2005) e Palácio de Verão (2006). No app ou no site do Looke, procure pelo canal Mostra Cinema e Reflexão.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Outra novidade é a 12ª edição do In-Edit Brasil — Festival Internacional do Documentário Musical, que segue até 20 de setembro on-line. A programação, com mais de sessenta filmes, entre curtas, médias e longas-metragens, está no site in-edit-brasil.com. Há também produções no Sesc Digital (sescsp.org.br/cinemaemcasa) e na Spcine Play (spcineplay.com.br).

Continua após a publicidade

Tem atrações grátis e outras que custam apenas R$ 3,00, com renda revertida aos trabalhadores da música e do cinema afetados pela pandemia. Entre os destaques está Aznavour by Charles, que resgata imagens feitas por Charles Aznavour (1924-2018) com uma câmera dada de presente a ele por Edith Piaf, em 1948.

A Mostra Portugal (grátis) apresenta seis documentários sobre a variedade dos ritmos no país europeu. Batida de Lisboa, por exemplo, traz à tona a capital tomada por músicos de diferentes gerações de Angola, São Tomé, Cabo Verde e Guiné-Bissau. O Brasil também está representado pela diversidade de gêneros, com registros dedicados aos compositores Elton Medeiros e Dorival Caymmi (no “artístico” Dorivando Saravá — O Preto Que Virou Mar), ao violonista Garoto, ao cantor paraense Felipe Cordeiro (Ventos que Sopram) e à cantora baiana Pitty (Matriz.Doc). O curta Nada Pode Parar os Autoramas resume o sucesso da banda carioca que, formada no fim da década de 90, se tornou referência no formato de produção independente. Fique de olho: os filmes têm dia e horário para entrar e sair de cartaz.

Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade