Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Tudo Sobre Cinema

Dez motivos para ver Birdman, o grande vencedor do Oscar 2015

Como crítico de cinema há mais de duas décadas, eu vejo muitos filmes ao longo do ano. Assisto a muitas bobagens, longas-metragens medianos e, raramente, algo que me tire o fôlego. Fazia muito tempo que não saía do cinema tão entusiasmado e isso ocorreu logo após a sessão para a imprensa de Birdman ou A […]

Por Miguel Barbieri Jr. Atualizado em 26 fev 2017, 18h32 - Publicado em 23 fev 2015, 13h07

Como crítico de cinema há mais de duas décadas, eu vejo muitos filmes ao longo do ano. Assisto a muitas bobagens, longas-metragens medianos e, raramente, algo que me tire o fôlego. Fazia muito tempo que não saía do cinema tão entusiasmado e isso ocorreu logo após a sessão para a imprensa de Birdman ou A Inesperada Virtude da Ignorância. Não à toa, a fita de Alejandro González Iñárritu foi a grande vencedora do Oscar 2015, levando os importantes prêmios de melhor filme, direção, roteiro original e fotografia. Quer dez motivos para ver Birdman?

Birdman, com Michael Keaton, foi escolhido o melhor filme pelo sindicado dos produtores

Birdman, com Michael Keaton, foi o grande vencedor do Oscar 2015 

1- O mexicano Alejandro González Iñárritu tem uma filmografia composta pelos elogiados Amores Brutos, 21 Gramas e Babel. Em rumo totalmente distinto ao dos trabalhos anteriores, conseguiu a proeza de realizar seu melhor longa-metragem.

2- Uma das qualidades do roteiro está em alfinetar o cinemão americano sem ofensas grosseiras. O personagem de Michael Keaton, por exemplo, é um ator que, no passado, fez muito sucesso interpretando o super-herói de uma franquia. Só para lembrar: Keaton atuou duas vezes como Batman, sob a direção de Tim Burton.

3- Birdman é o filme mais premiado da temporada, ao menos nas associações dos profissionais dos Estados Unidos. Venceu no sindicato dos produtores, dos diretores e também dos atores (um merecido troféu para o elenco).

4- O filme é composto de vários planos-sequência – um recurso narrativo que dá a impressão de ter sido filmado num só take. É difícil perceber onde foram feitos os cortes de uma tomada para a outra. Fique ligado para tentar encontrar as “emendas”.

5- Atuações também são o forte. Como a ação se passa poucos dias antes da estreia de uma peça, os atores imprimem uma intensa carga de adrenalina aos papéis. Destaco as interpretações de Michael Keaton, Edward Norton e Emma Stone, todos candidatos ao Oscar.

6- Também mexicano, o diretor de fotografia Emmanuel Lubezki, conhecido como Chivo, ganhou seu segundo Oscar – e consecutivo. No ano passado, venceu por Gravidade, outro filme que me deixou boquiaberto.

Continua após a publicidade

7- Poucas vezes, vi um casamento entre cinema e teatro tão azeitado. Embora o assunto central seja a montagem de uma peça, Birdman consegue escapar facilmente do quadrado formato “teatro filmado” por causa da agilidade das câmeras e dos diálogos calorosos.

8- A história é um drama (de um astro decadente tentando voltar à cena como um ator de prestígio na Broadway), mas há vários momentos de humor, sobretudo ligados às celebridades e ao universo do cinema.

9 – Difícil citar apenas uma cena emblemática, mas gosto, particularmente, da sequência em que Michael Keaton anda de cueca pela Times Square, em Nova York. É um feito cinematográfico de arregalar os olhos.

10 – Os detratores acham que Iñárritu passou dos limites fazendo um trabalho pretensioso. Discordo. O filme trata, justamente, do ego inflado dos artistas expondo os personagens a situações muitas vezes ridículas.

Leia também:

A lista completa com os vencedores do Oscar 2015

Megan Fox e Cameron Diaz levam o prêmio de pior atriz no Framboesa de Ouro. Confira quem foram os outros “vencedores”

Pais levam crianças para ver Cinquenta Tons de Cinza. E o cinema deixa entrar na sessão. Entenda o caso

Quer ter informações diárias sobre cinema? Então venha curtir a página do meu blog no Facebook. E me siga no Twitter! 

Continua após a publicidade
Publicidade