André Sturm, secretário de Cultura, indica filme de São Paulo nos anos 80

Confira onde assistir a 'A Dama do Cine Shanghai' e outros filmes do Novo Cinema Paulista

André Sturm é secretário municipal de Cultura de São Paulo e recomenda um filme brasileiro da década de 80.

 (Reprodução/Veja SP)

Nos anos 80, surgiu um grupo de cineastas e fotógrafos propondo um cinema com uma nova estética. Pode-se dizer que foi uma primeira geração de artistas formados em escolas de cinema. O destaque era dado à cidade: a metrópole com sua noite, seus personagens e o apuro na fotografia eram elementos frequentes. A luz noturna azulada foi uma marca desse período e influenciou todo o cinema nacional. Ficou conhecido como Novo Cinema Paulista. Infelizmente, esses filmes terminaram ficando num limbo com as mudanças tecnológicas. Já eram “antigos” quando o mercado passou para o DVD e não tão “clássicos” para os canais a cabo. A SPCine Play, nova plataforma de conteúdo na internet, passou, então, a oferecer alguns títulos daquela época. Alojada na plataforma nacional Looke, oferece diversos conteúdos que você não encontra em outros locais. Que tal ver ou rever longas-metragens que mostram uma cidade conhecida, mas muito modificada em pouco mais de 30 anos? São Paulo sempre é personagem, com suas ruas, locais, contradições… e um dos meus favoritos é A Dama do Cine Shanghai. Pelo título, já dá para perceber que Guilherme de Almeida Prado, seu diretor, é cinéfilo. Recheado de referências cinematográficas, a história acompanha um corretor de imóveis (Antonio Fagundes), que entra num cinema e, lá, conhece uma mulher muito parecida com a atriz do filme em cartaz. A partir daí, ele vai se enroscando numa trama que parece sem saída. Como se vê, o roteiro é característico de um filme noir: o homem desavisado, a mulher misteriosa, crime, personagens sórdidos. No entanto, o tempo inteiro, o cineasta nos lembra que estamos em São Paulo, apresentando diversas locações da cidade, algumas transformadas, outras como são, num tour pelo centro e outras regiões. Com um apuro estético raro, fotografia deslumbrante e interpretação inesquecível de Maitê Proença, a tal “dama”, é um filme marcante, que revelou um cineasta de raro talento, além de muito simbólico de um momento do cinema paulista e brasileiro.

> A Dama do Cine Shanghai pode ser acessado pela SPCine Play ou alugado diretamente na plataforna do Looke.

Quer me seguir nas redes sociais?

Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
Twitter: @miguelbarbieri
Instagram: miguelbarbieri
YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s