A Separação e Batman são os melhores filmes de 2012

Não sei exatamente há quantos anos eu voto na eleição dos melhores filmes do ano no Festival do CineSesc. Mais de quinze anos, com certeza. Muitas vezes impliquei com os resultados dos preferidos da crítica, mas, desta vez, nunca me senti tão feliz com o prêmio para o melhor filme estrangeiro. Não deu outro: A […]

Não sei exatamente há quantos anos eu voto na eleição dos melhores filmes do ano no Festival do CineSesc. Mais de quinze anos, com certeza. Muitas vezes impliquei com os resultados dos preferidos da crítica, mas, desta vez, nunca me senti tão feliz com o prêmio para o melhor filme estrangeiro. Não deu outro: A Separação foi o predileto dos críticos. Em direção totalmente oposta, Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge ganhou a maioria dos votos do público. Não acho Batman ruim, mas, certamente, essa vitória tem os dedões dos fãs do Homem-Morcego. A Separação foi o único filme que levou minhas cinco estrelas em Veja São Paulo em 2012. Adoro o roteiro desse drama iraniano que faz o espectador embarcar num turbilhão de emoções e situações conflituosas. Asghar Farhadi, o diretor, também foi o melhor pelos especialistas, assim como os atores Tilda Swinton (por Precisamos Falar sobre o Kevin) e Michael Fassbender (por Shame). Fassbender também garantiu o voto do público, que escolheu Meryl Streep (em A Dama de Ferro) como melhor atriz, e Martin Scorsese, como melhor diretor por A Invenção de Hugo Cabret.

A Separação: o espetacular drama iraniano foi eleito o melhor filmes estrangeiro pelos críticos

Está gostando deste post? Então curta a página do blog no Facebook e tenha mais informações sobre cinema.

Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge: escolhido pelo público como o melhor filme estrangeiro de 2012

O Festival do CineSesc começa na quinta-feira, dia 4, e vai reprisar 40 longas-metragens, até 25 de abril. O resultado com os melhores do cinema nacional será revelado numa cerimônia apenas para convidados na quarta-feira. Vi filmes que estão programados que jamais estariam na minha lista dos dez ou quinze melhores de 2012. Exemplos? Vou Rifar meu Coração, um dos documentários nacionais mais pretensiosos dos últimos anos; Entre o Amor e a Paixão, uma bobagem romântica americana dirigida pela atriz Sarah Polley; e o pavoroso O Homem que Não Dormia, do diretor baiano Edgar Navarro. É melhor ficar com o que há de melhor. Escolhi dez títulos para ver ou rever – cinco estrangeiros e cinco brasileiros!

Estrangeiros

A Separação, As Aventuras de Pi, Precisamos Falar sobre o Kevin, A Dama de Ferro e Pina 3D

Precisamos Falar sobre o Kevin: um filme sensacional que foi pouco visto nos cinemas

Brasileiros

Raul – O Início, o Fim e o Meio, 2 Coelhos, Cara ou Coroa, Tropicália e À Beira do Caminho

Cara ou Coroa: o diretor Ugo Giorgetti acertou em seu registro sobre o período militar

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s