Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Tudo Sobre Cinema

50 filmes franceses grátis! Confira 22 dicas do Festival Varilux

Os longas-metragem podem ser visto na plataforma digital do Looke até 28 de agosto

Por Miguel Barbieri Atualizado em 1 Maio 2020, 14h51 - Publicado em 30 abr 2020, 12h40

Até 28 de agosto, o Festival Varilux em Casa oferece 50 longas-metragens que podem ser vistos pela plataforma digital do Looke (looke.com.br).Ou pode ser acessado pelo site www.festivalvariluxemcasa.com.br

Os filmes estão entrando aos poucos na plataforma, mas, em breve, todos estarão disponíveis. 

É muito simples para se cadastrar e ver os filmes – eles podem ser acessados pelo app do Looke em sua Smart TV ou você pode baixar o app no Looke no celular e assistir (também pelo site) pelo seu laptop, PC, tablete ou até mesmo celular.

Do drama à comédia, do romance ao suspense, confira abaixo 22 boas atrações, já disponíveis, que eu selecionei.

Amor à Segunda Vista > François Civil e Joséphine Japy são Raphael e Olivia, que se conheceram no colégio e engataram um namoro. Dez anos depois de casados, ele ficou rico como escritor e ela abdicou da carreira de pianista. Mas algo mágico vai ocorrer. Ao acordar após uma ressaca, o protagonista percebe que seu mundo mudou. Agora, Raphael dá aulas a crianças na periferia e Olivia virou uma famosa concertista e nem mais o reconhece.

François Civil em Amor à Segunda Vista Divulgação/Veja SP

Rock’n Roll: por Trás da Fama > Na divertida comédia, Guillaume Canet interpreta ele mesmo, um astro do cinema de 42 anos que é considerado um “tiozinho” pela jovem atriz de um filme. Ele entra em crise. Casado com a estrela Marion Cotillard (esposa de Canet na vida real), embarca numa maré de mudanças físicas e psicológicas. Em uma crítica ácida e demolidora à vaidade a qualquer preço, o realizador surpreende com um roteiro recheado de piadas espirituosas.

A Aparição > Vincent Lindon é o repórter que cobriu guerras e, sendo ateu, foi escalado para um missão delicada: no interior da França, ele precisa descobrir se uma jovem, que diz ter visto uma aparição da Virgem Maria, está falando a verdade. Inspirado em caso verídico, o drama comove sem apelações emocionais.

Carnívoras > Irmãos e atores, Jérémie e Yannick Renier fizeram a estreia na direção com uma história instigante e não menos corajosa. Eles tratam aqui do relacionamento de duas irmãs que são atrizes, mas não têm a mesma chance no cinema. Haverá, então, confronto e rivalidade entre elas.

Meu Bebê > Sandrine Kiberlain interpreta a dona de um restaurante em Paris que é divorciada e mãe de três filhos. Os mais velhos já bateram asas e voaram. Só falta a caçula, de 17 anos, que vai sair do “ninho” para fazer faculdade no Canadá. A protagonista relembra, então, os bons momentos da família de forma terna e emotiva.

O Reencontro > Solitária e batalhadora, a parteira Claire (Catherine Frot) se vê com uma batata quente nas mãos. Béatrice (Catherine Deneuve), sua madrasta, reaparece depois de muitos anos buscando uma reconciliação por estar com um câncer terminal. Claire nunca gostou da segunda mulher de seu pai, a quem culpa pela morte dele.

O Reencontro, com Catherine Deneuve e Catherine Frot Divulgação/Veja SP

Cyrano Mon Amour > A comédia não se prende à realidade e é uma bela celebração do teatro, sobretudo do criador de Cyrano de Bergerac. Amargando uma crise de inspiração na Paris de 1897, o poeta Edmond Rostand (Thomas Solivérès) precisa elaborar um texto para o astro Constant Coquelin (Olivier Gourmet). Aos poucos, uma ideia vai brotando. O ator Volny (Tom Leeb) quer conquistar uma camareira, mas não possui o dom das palavras. Amigo dele, Edmond torna-se o escritor de suas cartas de amor.

O Último Suspiro > O personagem de Romain Duris tem uma filha que, por problemas de saúde, precisa viver numa cápsula de vidro. Após um terremoto, Paris é tomada por uma estranha névoa tóxica, o que obriga os sobreviventes a morar nos andares mais altos dos prédios. Drama e suspense numa instigante trama envolta em mistérios, tendo a capital francesa com ruas desertas como cenário, algo muito parecido com estes tempos de pandemia.

Tour de France > Um rapper muçulmano jurado de morte é aconselhado por seu empresário a sair de Paris e fazer uma viagem com Serge Desmoulins (Gérard Depardieu), o intransigente pai do amigo. De um lado está um jovem árabe cheio de atitudes e, do outro, um idoso pintor racista. Arte e (in)tolerância racial são os temas principais neste embate entre a velha e a nova França.

Primeiro Ano > Benjamin e Antoine (William Lebghil e Vincent Lacoste) conhecem-se num curso preparatório para a faculdade. Ambos querem fazer medicina. Enquanto um se mostra displicente e pouco interessado no futuro, o outro entra de cabeça nos estudos. Registro fiel dos tempos pré-universidade, com dissabores e dúvidas típicos da juventude.

A Viagem de Fanny > Trata-se da história de Fanny Ben-Ami (papel de Léonie Souchaud), que, aos 12 anos, foi deixada pelos pais, judeus, num internato no interior da França, durante a II Guerra. Com o país ocupado pelos alemães, a garota, suas duas irmãs mais novas e um grupo de meninos e meninas vão de cidade em cidade para conseguir chegar à Suíça.

Astérix e o Domínio dos Deuses > Os personagens criados por René Goscinny e Albert Uderzo ganham uma animação em longa-metragem. O espírito anárquico da HQ volta numa história espirituosa, que pode cair melhor no gosto dos adultos. Na trama, o imperador romano Júlio César decide combater uma aldeia na Gália (onde moram Asterix e Obelix) construindo um condomínio de luxo nas terras dos inimigos.

Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Inocência Roubada > O drama traz à tona uma história real, ocorrida com a diretora, roteirista e atriz Andréa Bescond. É um trauma: Andréa, que no filme virou Odette, foi abusada sexualmente por um amigo de seus pais, interpretado por Pierre Deladonchamps. Acima de qualquer suspeita, o criminoso, que era casado e pai de família, molestou a menina desde que ela tinha 8 anos. A trama, porém, concentra-se sobretudo no presente, com Odette na terapia, discutindo com a mãe (Karin Viard) e às voltas com um espetáculo de dança.

Continua após a publicidade

Marvin > Ainda garoto, o protagonista-título sofria ataques de bullying na escola e, em casa, o pai machista, a mãe omissa e os irmãos caipiras o rejeitavam. Já adulto e interpretado por Finnegan Old­field (foto), Marvin se assumiu como gay e achou um rumo para sua vida quando começou a ter aulas de teatro. A diva Isabelle Huppert é a cereja do bolo no papel de si mesma.

Os Cowboys > A eletrizante primeira parte não tem liga com o improvável segundo capítulo da história. Em 1994, Alain Balland (François Damiens) fica desnorteado quando sua filha, de 16 anos, desaparece com o namorado, de origem árabe. Acompanhado do caçula (Finnegan Oldfield), o pai empreende uma busca obsessiva. Da metade até o fim, a trama fica centrada na vida errante do filho.

Um Instante de Amor > Na França da década de 50, Gabrielle (Marion Cotillard) é solteira, liberal, de espírito livre e atitudes extremadas. Sua família decide, então, obrigá-la a se casar com José (Alex Brendemühl), um simplório pedreiro espanhol. Para azedar a relação de fachada, ela se encanta com um soldado ferido (Louis Garrel) quando vai se tratar de pedras nos rins numa clínica nos Alpes suíços.

A CorteMichel Racine (Fabrice Luchini) está se separando da mulher, não tem amigos e mora num hotel numa cidade do norte da França. Juiz rígido e ríspido, terá um complicado caso pela frente: o de um jovem pai acusado de matar seu bebê. Enfrentando uma gripe no tribunal, ele reencontra entre os jurados uma médica por quem sempre foi apaixonado.

Chocolate > Rafael Padilla (papel de Omar Sy) se apresenta como um canibal africano. Em decadência, o palhaço Footit (James Thierrée) o convida, então, para formar uma dupla no picadeiro. Nasce então Chocolat, um personagem que serve de “escada” para o parceiro, leva chutes e bordoadas e é tratado com galhofa. O público aprova, gargalha e Footit e Chocolat rompem barreiras, dando início a uma gloriosa carreira em Paris.

O Filho UruguaioJunto de um assistente social (papel de Ramzy Bedia), Sylvie (Isabelle Carré) chega a Montevidéu para buscar seu filho, levado pelo pai uruguaio. Descobre, então, que ele está sendo muito bem criado pela avó e pela tia.

Um Amor à Altura > Trata-se aqui do romance Alexandre (Jean Dujardin) e Diane (Virginie Efira). Ele é um arquiteto charmoso e rico, que move montanhas para conquistar a advogada divorciada. A jovem, porém, tem certa resistência por puro preconceito: o conquistador tem a altura de um anão.

Samba > Omar Sy interpreta um senegalês que mora ilegalmente em Paris há dez anos. Ele faz bicos em restaurantes e é preso por agentes do departamento de imigração. Na outra ponta da história está Alice (Charlotte Gainsbourg), executiva em licença médica cujo novo trabalho é colaborar com uma ONG que tenta regularizar a situação dos clandestinos no país. O destino se encarrega de fazer o encontro de Samba e Alice.

Quem Me Ama, Me Segue! > Simone (Catherine Frot) é casada com Gilbert (Daniel Auteuil) e tem Etienne (Bernard Le Coq) como amante. Quando “o outro” vai embora da cidade, ela faz as malas para dar novo rumo a sua vida. Mas Gilbert fará de tudo para reconquistá-la. 

  • Quer me seguir nas redes sociais? Anote: 

    Facebook: facebook.com/paginadoblogdomiguel
    Twitter: @miguelbarbieri
    Instagram: miguelbarbieri
    YouTube: Miguel Barbieri Jr. 

     

     

     

     

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade