Clique e assine por apenas 5,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

Tradicional sinagoga da capital vira moderno centro comunitário

Inauguração está prevista para o mês de agosto

Por Thaís Oliveira - Atualizado em 5 fev 2020, 14h05 - Publicado em 1 jun 2018, 06h00

Considerada a segunda sinagoga mais antiga do estado, a Knesset Israel (assembleia de israel, em hebraico) ganhará casa nova. A sociedade foi fundada por dissidentes da Kehilat Israel, inaugurada em 1912, no Bom Retiro, onde hoje funciona o Memorial da Imigração Judaica. Após a cisão, o templo partiu-se em dois, e a nova entidade abriu as portas em 1916, também no bairro. Financiada pelos cerca de 300 associados da época, a obra demorou dois anos para sair do papel. O espaço serviu de abrigo aos imigrantes da Europa Oriental que deixaram o continente por ocasião da I Guerra Mundial. ]A experiência se repetiu durante os horrores da II Guerra.

Prédio na Rua Doutor Brasílio Machado: inauguração em agosto Federação IsraelIta do Estado de São Paulo/Divulgação/Veja SP

Na década de 30, a necessidade de ampliação levou à demolição do antigo imóvel, que deu lugar a uma estrutura mais ampla e suntuosa. Conforme os negócios prosperavam, a partir dos anos 70, os descendentes dos primeiros imigrantes passavam a ocupar o bairro de Higienópolis. Era preciso então erguer um segundo templo nesse reduto, para reunir estes e os antigos membros da comunidade. A sede na Avenida Angélica foi inaugurada em 1997 e, além das celebrações, abriga aulas de línguas, filosofia e outros temas. O novo lugar fica a poucos metros dali, na Rua Doutor Brasílio Machado. Incluirá duas sinagogas, com espaço para 500 e 120 pessoas, respectivamente, e um salão de festas de 400 lugares. Haverá também biblioteca, saunas e dois mikvás, tanques com água utilizados em rituais.

Publicidade