Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

O walkman faz aniversário

O aparelho mudou completamente o hábito de ouvir músicas

Por Roosevelt Garcia Atualizado em 1 jul 2017, 16h59 - Publicado em 1 jul 2017, 16h03

No dia primeiro de julho de 1979, há exatos 38 anos portanto, era colocado no mercado um aparelho que mudaria para sempre o hábito de se ouvir músicas. Nesse dia, a Sony colocou à venda o primeiro walkman, o TPS-L2, um reprodutor de fitas cassete portátil, com saída para fones de ouvido. A partir daquele momento era possível caminhar pela cidade ouvindo suas músicas preferidas e sem incomodar as outras pessoas. Ou seja, como disse Chris Rock em sua série “Todo Mundo Odeia o Chris”, ter um walkman significa que você pode ouvir música ruim à vontade, e ninguém fica sabendo!

O aparelho foi inventado pelos engenheiros da Sony a pedido do presidente da companhia, Akio Morita, que queria ouvir ópera durante o trabalho. É também creditada a ele a ideia para a criação do CD, numa história parecida: ele queria ouvir a 9ª Sinfonia de Beethoven completa, sem precisar virar o disco. Ambas as histórias são lendas urbanas, sem um veredicto de veracidade.

TPS-L2 – o primeiro walkman da história Sony/Divulgação

 

Continua após a publicidade

O primeiro walkman era bem simples, possuía as funções mínimas que um reprodutor de fitas deveria ter, mas tinha uma coisa que nunca mais nenhum outro walkman teve, e que realmente fez falta: saída para dois fones de ouvido. Assim, um casal de namorados, por exemplo, poderia curtir a mesma música ao mesmo tempo, ambos ouvindo os dois canais estéreo, ou seja, ouvindo a música como se deve. Essa segunda saída de fone de ouvido foi retirada na próxima geração do aparelho, e nunca mais apareceu.

Outros modelos de walkman Divulgação

 

Continua após a publicidade

Nos anos seguintes, o equipamento foi evoluindo, apareceram os primeiros walkman com auto reverse, e que também poderiam reproduzir fitas de qualidade superior, como chromo e metal. Alguns vinham até com sintonizador de AM/FM, no início analógico, mas logo o sintonizador se tornou digital.

O hábito de ouvir música portátil evoluiu, apareceram em seguida os discman, que eram walkman para CD, depois vieram os minidisc portáteis e, por fim, os tocadores de música digital, que também já estão ficando extintos, pois a tecnologia mais recente agora é que não precisamos mais ter as músicas conosco; ouvimos o conteúdo da nuvem.

Discman, que tocava CDs, um walkman de miniDisc e um tocador de MP3. A evolução da música portátil Divulgação

O último walkman com fita cassete foi fabricado em 2010, pouco mais de trinta anos depois do seu lançamento. Do jeito que a tecnologia deixa as coisas obsoletas com tamanha rapidez, o aparelhinho até que teve uma vida bem longa!

  •  

    Continua após a publicidade

     

    Continua após a publicidade
  • Continua após a publicidade
    Publicidade