O que aconteceu com o prédio do Mappin?

Quem passa pela esquina da Rua Coronel Xavier de Toledo com a Praça Ramos de Azevedo todos os dias e tem tem menos de 30 anos talvez não saiba a história do maior centro de compras que a capital teve até meados da década de 90, o Mappin. + Os antigos templos da jogatina e boemia […]

memoria-mappin_irmo celso

Fachada na esquina da Rua Coronel Xavier de Toledo com a Praça Ramos de Azevedo, em 1981 (Foto: IRMO CELSO)

Quem passa pela esquina da Rua Coronel Xavier de Toledo com a Praça Ramos de Azevedo todos os dias e tem tem menos de 30 anos talvez não saiba a história do maior centro de compras que a capital teve até meados da década de 90, o Mappin.

Os antigos templos da jogatina e boemia

Idealizado pelos ingleses Herbert e Walter Mappin, a loja de artigos de decoração e utilidades domésticas que levava o sobrenome dos  irmãos abriu as portas em 1913, na Rua 15 de Novembro. No inicio, a unidade só disponibilizava itens importados da Europa como lustres e faqueiros de prata. Para quem não se recorda, o Mappin recebeu grande atenção por introduzir o conceito das lojas de departamento no Brasil. Posteriormente, esse conceito seria mais bem explorado pelos shoppings – que ficaram conhecidos após a inauguração do Iguatemi, em 1966.

+ Light e Mappin: os reis do preço baixo

O grande sucesso fez a empresa montar uma filial no endereço em frente ao Teatro Municipal, arrastando filas pelas calçadas durante grandes liquidações e consolidando como uma grande rede varejista ao incluir em suas formas de pagamento o crediário – o popular carnê.

mappin_gr

Após grande período de crescimento, o grupo então comandado por Alberto Alves Filho decidiu abrir mais unidades, o que causaria o acúmulo de dívidas e a declaração de falência da marca em 1999. Na virada do milênio, o grupo Marabraz comprou a marca e prometeu um retorno da marca, mas nenhum detalhe foi divulgado até hoje.

mappin-maps

Fachada deteriorada faz pedestres passarem despercebidos por loja da Casas Bahia, no térreo (Foto: Reprodução/Google Maps)

Hoje, antigo prédio no centro da cidade abriga uma unidade da Casas Bahia.

(Com reportagem de Gabriel Bentley)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s