Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

Fotos evidenciam semelhanças visuais entre a gripe espanhola e a Covid-19

Mesmo com 100 anos de diferença, as duas crises sanitárias produziram imagens parecidas: máscaras, estado de alerta e muitos doentes

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 4 nov 2020, 11h09 - Publicado em 3 nov 2020, 17h28

Já virou uma cena comum ver pessoas de máscaras devido à pandemia da Covid-19. Segundo levantamento da Universidade Johns Hopkins, mais de 1,2 milhão de pessoas no mundo morreram em decorrência da doença até agora. Na Europa, apesar da diminuição de casos, uma segunda onda começa a emergir forçando países como Alemanha e França a instaurarem lockdown parcial.  

No Brasil, segundo o Ministério da Saúde, mais de 160 000 pessoas foram vítimas fatais da Covid-19 e 5,5 milhões de pessoas já se contaminaram com o vírus. 

A situação não é, de todo, inédita. A gripe espanhola, presente entre 1918 e 1920, teve consequências seríssimas para a sociedade humana, causando milhões de mortes. Bob Ahern, diretor do arquivo da Getty Images, enxerga semelhanças entre as duas situações, principalmente em aspectos visuais, apesar dos 100 anos de diferença. 

“A linguagem visual da pandemia Covid-19 é nova para a maioria das pessoas que vivem no mundo nos dias de hoje: pessoas usando máscaras, cidades abrindo hospitais recém-construídos e a sociedade em agitação por um novo vírus misterioso. Mas essas cenas são na verdade muito semelhantes à gripe de 1918, às vezes chamada de gripe espanhola, que ceifou mais de 50 milhões de vidas. A resposta dos EUA à crise de saúde pública foi prejudicada quando o vírus se espalhou em um centro de treinamento de soldados no Kansas, mas com quase um terço dos médicos estacionados no exterior durante a Primeira Guerra Mundial, a equipe médica foi incapaz de cuidar adequadamente dos pacientes doentes”, disse. 

A pedido da Vejinha, a Getty Images fez uma curadoria de imagens da crise de 1918. Veja abaixo:

1918: Mulheres trabalhando para Cruz Vermelha durante gripe pandêmica Bettmann Archive/Getty Images

“Como você pode ver em uma das imagens, os fotógrafos documentaram voluntários fazendo máscaras para construir um senso de camaradagem entre os americanos e um sentimento de que ‘estavam todos juntos nisso’. Embora essas duas pandemias tenham uma distância de quase 100 anos e o mundo pareça drasticamente diferente hoje, é interessante ver que a iconografia e a linguagem visual de ambas são relativamente semelhantes.”

Cortando o cabelo: precauções tomadas durante a epidemia da influenza Divulgação/Getty Images
Outubro de 1918: um varredor de rua da cidade de Nova York usa uma máscara para ajudar a controlar a propagação da epidemia de gripe PhotoQuest/Getty Images
Chicago, Illinois: funcionários usam máscaras de gaze Divulgação/Getty Images
Crise: voluntários usam máscaras para alimentar crianças de famílias atingidas Divulgação/Getty Images
Precaução: médicos, oficiais do exército e repórteres usam batas e máscaras cirúrgicas enquanto fazem um tour por um hospital Divulgação/Getty Images
Operadora de telefone: uso da gaze como proteção. Divulgação/Getty Images
Hospitais durante a influenza: as camas são invertidas, alternadamente, para que a respiração de um paciente não seja direcionada para o rosto de outro PhotoQuest/Getty Images
Epidemia de gripe: doentes são carregados em macas Library of Congress/Interim Archives/Getty Images
Fevereiro de 1919: mulher usando máscara de gripe durante a epidemia que se seguiu à Primeira Guerra Mundial Topical Press Agency/Getty Images
Continua após a publicidade
Publicidade