Clique e assine por apenas 6,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

Rodovia Anhanguera completa setenta anos de funcionamento

A via foi a primeira a ser pavimentada e duplicada no Brasil

Por Maurício Xavier - Atualizado em 5 fev 2020, 14h12 - Publicado em 27 abr 2018, 06h00

Um dos principais troncos viários de São Paulo, a Rodovia Anhanguera completou setenta anos de funcionamento no último dia 22. A rota começou a ser utilizada no século XVIII, por tropeiros que se deslocavam para o interior do estado. A partir de 1921, o trajeto foi ocupado para a construção da estrada Campinas-São Paulo, na época ainda de terra. O formato atual surgiu em 1948, após oito anos de obras, com o asfaltamento do trecho entre a capital e Jundiaí, na gestão do governador Adhemar de Barros.

Em 1953, a Anhanguera tornou-se a primeira rodovia pavimentada e duplicada do Brasil, com 80 quilômetros de extensão. Hoje batizada de SP-330,
estende-se por 442 quilômetros, de São Paulo a Igarapava, na divisa com Minas Gerais, passa por 31 cidades e é uma das mais movimentadas do país. Sua vizinha, a rodovia dos Bandeirantes, que corre em paralelo entre a capital e Campinas, surgiu nos anos 70.

O nome Anhanguera remete aos bandeirantes Bartolomeu Bueno da Silva, pai e filho, que desbravaram o estado nos séculos XVII e XVIII e compartilhavam o apelido (a palavra significa “diabo velho” em tupi). Reza a lenda que Bartolomeu (pai) teria ateado fogo em um pote com aguardente e ameaçado incendiar os rios ao redor de uma tribo para assustar os índios e tomar posse de seu ouro.

Publicidade