Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês
Vinho e Algo Mais Por Por Marcelo Copello Especialista na bebida, Marcelo Copello foi colunista de Veja Rio. Sua longa trajetória como escritor do tema inclui publicações como a extinta Gazeta Mercantil e livros, entre eles "Vinho e Algo Mais" e "Os Sabores do Douro e do Minho", pelo qual concorreu ao prêmio Jabuti

Conheça uvas pouco famosas que podem render bons vinhos

Veja minhas dicas para que você inicie o ano descobrindo coisas novas

Por Marcelo Copello 10 jan 2020, 15h04

Um dos aspectos que mais fascina quem gosta de vinho é sua infinita variedade. Para os afilhados de Baco, o grande charme é descobrir.

E, para quem quer sair um pouco das castas mais comuns, como cabernet, chardonnay, malbec, carménère, sauvignon blanc, pinot noir e syrah, aí vão 52 uvas que me agradam muito e que não são tão conhecidas.

Elas estão dividas entre brancas e tintas e pelos países que produzem bons vinhos com elas.

BRANCAS
AUSTRÁLIA: sémillon (da região Hunter Valley)
ÁUSTRIA: grüner veltliner
ESLOVÊNIA/ITÁLIA: vitovska
ESPANHA: godello, palomino
FRANÇA: savagnin, roussanne, marsanne
GRÉCIA: assyrtiko
ITÁLIA: arneis, grillo, inzolia, malvasia (da região de Carso-Friuli), ribolla gialla, erbaluce, catarratto, grechetto, picolit, carricante
PORTUGAL: rabigato, cerceal, encruzado, moscatel roxo, terrantez, bical, loureiro, verdelho, bual
SUÍÇA: amigne, chasselas ou fendant, heida ou païen, petite arvine

TINTAS
BRASIL/URUGUAI: marselan (original do sul da França)
CHILE: país ESPANHA mencía, bobal
FRANÇA mourvèdre
GRÉCIA: xynomavro, mavrotragano
ITÁLIA: nerello mascalese, pignolo, dolcetto, teroldego, frappato
PORTUGAL: ramisco, sousão, tinta grossa, grand noir, tinto cão
SUÍÇA: cornalin, humagne rouge
TURQUIA: ÖküzGözü, kalecik karasi.

Valeu pela visita! Volte sempre e deixe seu comentário. Aproveite para curtir minha página no Facebook e minhas postagens no Instagram.

Continua após a publicidade
Publicidade