Jovem compra shorts quatro manequins menor e emagrece 27 quilos para entrar na peça

O blog mudou de nome. Sepultamos o Cansei de Ser Gorda, para dar lugar ao Vida Boa, e aumentar nossa área de cobertura. Isso não quer dizer, no entanto, que deixamos para trás as histórias de superação que há um ano e meio publicamos nesse espaço. Ao contrário, a cada segunda-feira elas são imensamente bem-vidas. […]

Aos 90 quilos, sem estímulo e vestindo calça 46 (Foto: Arquivo Pessoal)

Aos 90 quilos, sem estímulo e vestindo calça 46 (Foto: Arquivo Pessoal)

O blog mudou de nome. Sepultamos o Cansei de Ser Gorda, para dar lugar ao Vida Boa, e aumentar nossa área de cobertura. Isso não quer dizer, no entanto, que deixamos para trás as histórias de superação que há um ano e meio publicamos nesse espaço. Ao contrário, a cada segunda-feira elas são imensamente bem-vidas. Afinal, sagas vencedoras de quem realmente conseguiu despachar os quilos a mais para o além têm tudo a ver com quem gosta de viver melhor.

+ Meias velhas viraram 3 000 cobertores doados a moradores de rua

O depoimento de hoje vem de São José dos Campos, no interior paulista. É de uma jovem de apenas 22 anos. Ela ficou arrasada ao ver o vídeo do casamento do irmão, onde se deu conta que estava caminhando pra obesidade e carregando problemas como pré-diabetes. “Quando assisti ao vídeo e me vi parecendo um botijão de vestido, eu pensei ‘não quero isso para mim, vou mudar’”, me contou ela, pelo telefone.

E mudou: em seis meses se livrou de quase 27 quilos. Cumpriu a meta de entrar em um shortinho número 38 e deu adeus ao manequim 46.  “Eu queria muito usar um desses shorts cintura alta. O que era impensável se tornou realidade. Um deles está até larguinho”, conta, aos risos. Veja o depoimento dela, a seguir:

Feliz, aos 22 anos e 27 quilos a menos (Foto: Arquivo Pessoal)

Feliz, aos 22 anos e 27 quilos a menos (Foto: Arquivo Pessoal)

“Oi, me chamo Taisa, tenho 22 anos e gostaria de contar a minha história, para servir de inspiração para alguém. Apesar de pouca idade, já tive uma experiência de vida muito bacana e transformadora. Aliás, transformou a minha vida e da minha família. Claro que sei que ainda sou nova e tenho muito, muito que aprender. Mas de qualquer maneira, vou compartilhar com vocês uma grande vitória.

Bem, tudo começou na adolescência, quando tive distúrbios hormonais e engordei além do que deveria e imaginava. Isso me afetou em todos aspectos, na escola, na família, na vida amorosa. E pior: em viver a vida de uma adolescente.

Eu simplesmente vivia trancada em casa – me escondendo do mundo! Não tinha ânimo para nada. Não saía com amigos, não ia ao cinema nem com namorado. Foram anos assim, sendo gordinha por fora e sofrendo por dentro. Raramente me olhava no espelho, porque tinha vergonha de mim mesma.

 

+ Você é um viciado em comida?

Eu comia e pensava: ah, vou comer, já estou gorda mesmo. E, nisso, a minha saúde gritava, pedindo socorro. Tinha pressão alta, começo de diabetes, dor na coluna e joelho, aos vinte e poucos anos.

Até que cheguei aos 90 quilos, para meu 1,65 metro. Nesse dia, eu chorei como nunca tinha chorado na vida. Ali, decidi que tudo ia mudar pra valer! Aos poucos fui mudando tudo, a começar pela alimentação – aboli as frituras e os embutidos, passei a comer comida simples, porém saudável. Também passei a praticar exercícios e joguei fora hábitos ruins que tanto me prejudicavam.

emagrecer 3

O shorts da mudança (Foto: Arquivo Pessoal)

Se foi fácil? Não, não foi. Foi tudo muito difícil, o começo é sempre sofrido, mas não desisti. Todo dia persistia na minha caminhada, caprichava nos meus pratos coloridos e saudáveis. Consultei uma nutricionista que me deu uma boa base, mas estudei. Fiz pesquisas e mais pesquisas sobre todos os alimentos que iriam me trazer benefícios. Virava a noite lendo textos sobre o tema, assistia a vídeos e me agarrei com força nos relatos de pessoas que emagreceram.

Olhem só, hoje estou aqui escrevendo o meu. As coisas foram mudando… Perdi 27 quilos em seis meses, sendo os primeiros 15 quilos somente reeducando a minha alimentação. Nos três meses seguintes (e até hoje), inclui a musculação e os exercícios aeróbicos.

+ Uma aula de “pilates dançante” para queimar até 800 calorias

Sempre começava várias dietas e regimes, tomava chás que dizem ser milagrosos e tudo mais. Hoje vejo que nada disso existe, pois no meu caso não foi mágica, não foi cirurgia ou qualquer bruxaria. Simplesmente apenas entendi uma única coisa: eu sou do tamanho dos meus sonhos. O que eu tive que aprender na marra, correr atrás de muita informação, estudar o meu corpo e sair da zona de conforto! Por isso, deu certo e valeu a pena.

Exibindo um novo corpo, com o shorts, claro (Foto: Arquivo Pessoal)

Exibindo um novo corpo, com o shorts, é claro (Foto: Arquivo Pessoal)

Nesse mundo de alimentação saudável, eu me encontrei. Estou estudando para ano que vem cursar faculdade de nutrição. Hoje, sou livre, me libertei, como uma borboleta se liberta do casulo.

Antes de terminar, algumas dicas importantes:

Se ocupe. Quanto mais coisas para fazer, menos tempo para ficar em casa, menos tempo para a ansiedade tomar conta e fazer você comer, como válvula de escape dos seus problemas.

Não ligue para o que os outros falam. Continue focado no seu objetivo. Sempre vão falar. Mas para ajudar são poucos!

Feche os olhos e enfie o pé na porta. Coloque um objetivo e vá atrás. Não dê tanta atenção ao tempo, à dor, à preguiça e ao que for. Escute músicas que te motivem, veja filmes que te inspiram, faça o que for preciso, mas não pare.

Faça o bem. Faça o bem que ele retorna para você. Pode parecer bobagem, mas funciona mais que abdominais.

Bom, é isso. Espero ainda poder ajudar muitas pessoas. Futuramente uma nutricionista, esse é o meu lugar no mundo!”

Taisa Carvalho

 

Adoramos, Taisa.

Em tempo: se você quer me contar a sua história, escreva para mim, chrismartinez@butiquedeletras.com.br

Para me seguir nas redes sociais: Instagram @blogvidaboa_ e meu Snapchat, chrismartinez4

Um beijo, até mais.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s