Blog

Vida boa

Ela perdeu 18 quilos ignorando a médica

Com alguma regularidade, temos publicado aqui neste blog histórias de sucesso, de gente igual a gente e que, sim, venceu a preguiça e fez as pazes com a balança. Quem conta saga nessa luta no post de hoje é a jornalista Andrea Vialli. Espero que gostem. E se inspirem. #SimNósConseguimosSemRemédio + Depois de ser chamada de […]

A jornalista Andrea Vialli: dedicação para perder peso

A jornalista Andrea Vialli: dedicação para perder peso

Com alguma regularidade, temos publicado aqui neste blog histórias de sucesso, de gente igual a gente e que, sim, venceu a preguiça e fez as pazes com a balança. Quem conta saga nessa luta no post de hoje é a jornalista Andrea Vialli. Espero que gostem. E se inspirem. #SimNósConseguimosSemRemédio

Depois de ser chamada de gorda no trânsito, empresária emagrece 50 quilos

“Ao contrário de muitas pessoas que tiveram problemas com peso na infância e adolescência, eu sempre fui magrinha, ao ponto de falarem para minha mãe me dar uns fortificantes quando era criança. Mas foi na idade adulta, especialmente após os 25 anos, que comecei a ganhar peso. O estresse e a falta de rotina do trabalho (sou jornalista) contribuíram para isso, e o fato é eu vivi praticamente dez anos da minha vida brigando com o efeito sanfona. Fazia uma dieta pontual, geralmente com algum remédio, e emagrecia; voltava a engordar meses depois, e assim fui tocando a vida.

Cinco endereços para você comprar sua marmita light com preços entre 20 e 33 reais

Até que em 2012 vi o ponteiro da balança disparar até os 81 quilos e me assustei: era o maior peso que tive na vida. Eu sou alta, tenho 1,71 metro, mas isso já configurava um IMC de sobrepeso, e se continuasse engordando, chegaria facilmente na obesidade grau 1. Meus exames clínicos não estavam uma ‘maravilha’: o colesterol total estava alto, a glicemia, limítrofe; minha família é cheia de casos de diabetes e problemas cardíacos, então resolvi tomar uma atitude. Por causa da minha idade (estava com 37 anos na época), a endocrinologista com quem me consultei disse que eu só conseguiria emagrecer com remédios. Eu não queria esse caminho, então fiz o que precisava ser feito: reeducação alimentar e atividade física regular.

andreavialli2

Comecei me matriculando numa boa academia e melhorando a alimentação por conta própria mesmo, com base nas dietas que tinha feito anteriormente. Cortei da alimentação tudo aquilo que todo mundo sabe que engorda: doces, massas, refrigerantes eu já não tomava, reduzi o consumo de bebidas alcoólicas também. Mas meu metabolismo estava meio paquidérmico… então resolvi procurar um nutricionista esportivo para me ajudar na empreitada. E foi o pulo do gato! Com ajustes na alimentação aliados aos treinos (ênfase na musculação pesada, um pouco de corrida e aulas de spinning), eu exterminei 18 quilos em catorze meses e voltei aos 63 quilos, peso que tinha aos 22 anos, e há dois anos venho mantendo.

Morte após dieta radical mostra a importância de emagrecer com saúde

Peguei gosto por essa rotina e, embora coma uma refeição mais gordinha vez ou outra, sigo as orientações do nutricionista religiosamente, porque ser disciplinada dá resultado. Minha dieta hoje é bem limpa: eu como pouquíssimos produtos industrializados, faço minha própria comida com muitos vegetais, proteínas magras em todas as refeições (um dos grandes segredos quando você quer conquistar massa muscular), gorduras boas e carboidratos moderados, além de suplementação adequada. Saí de um percentual de gordura de 37% para 22% e agora o foco é aumentar minha massa muscular. Estou prestes a completar 40 anos e posso dizer que nunca estive em melhor forma em toda a minha vida!

andreavialli3

O processo todo me ensinou muitas coisas e a principal delas é que alimentação equilibrada e exercício físico são para vida toda. Não adianta fazer dietas pontuais, malucas e não manter os hábitos, tem que haver constância e paciência no processo. Pode ser difícil e cansativo às vezes, mas para mim o empenho vale a pena.

Hoje me sinto melhor fisicamente do que aos 20 anos, baixei o manequim do 44/46 para o 38 e tenho uma quantidade de massa muscular superior à média para a minha idade. Cada dia vejo um novo progresso no meu desempenho nos exercícios físicos – seja aumentar os pesos na musculação, a velocidade na corrida ou a carga na bike.

Ganhei mais disposição para encarar as batalhas do dia-a-dia e mais satisfação ao ver os zíperes subindo com facilidade. Encontrei na chamada “vida saudável” uma fonte de prazer, não de privação – e mudar essa chave na minha cabeça foi um elemento fundamental do sucesso.

Em tempo:

Se você quiser me seguir, a Andrea, o Instagram é @andreavialli

Pra me seguir, clica lá no @canseidesergorda_

E temos também uma página no Facebook Cansei de Ser Gorda.

Se você quer me contar sua história, escreve pra mim chrismartinez@butiquedeletras.com.br (eu repondo todos os emails, mas, calma, é no tempo que dá).

Um beijo, até mais

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s